CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO
Top Model Kaká Ramos

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

11-201 - 220 do total de 1155 pensamentos na coleção de marinho guzman




Infelizmente a sorte já está lançada e reputo a maior vergonha para o Judiciário de todos os tempos.
Vale a pena reclamar muito agora nas redes sociais e deixar claro que eles não vão enganar ninguém e que passarão para a história tão ou mais corruptos do que os em julgamento, já julgados e condenados.

Marinho Guzman
Nos tempos em que quadrilha era só uma dança.

Quando eu tinha uns quinze anos, no mês de junho não se falava em outra coisa a não ser nas festas caipira.
Santo Antônio, São Pedro e São João.
Quermesses, barracas de comidas, dança de quadrilha, faziam com que a gente se aconchegasse numa fogueira, comesse pipoca, pinhão, milho cozido, caldo verde e um sem número de outros quitutes, quase sempre à beira de uma fogueira e olhando os balões que coloriam o céu.Alguns mais ousados tentavam escalar o pau-de-sebo e todo mundo usava fantasia, ou pelo menos algo que estilizasse o tema, como remendos coloridos nas calças de barras viradas e nas saias rendadas. Camisas xadrez, lenços no pescoço, chapéu de palha e botas eram imprescindíveis.
As meninas mais bonitas se fantasiavam de noiva, usavam grandes tranças e espalhafatosa maquiagem vermelha, tudo cobrindo totalmente o corpo, mal se vendo as mãos. O ápice da festa era o casamento caipira.
Não havia celulares, whatsapp, twitter nem Facebook e o negócio era mesmo o correio elegante, com recados inocentes e promessa de beijos que na maioria das vezes não passavam da imaginação.
A dança era a das quadrilhas, sempre bem ensaiadas e nada parecidas com as de agora, que têm uma corrupção que sempre existiu, mas se comparada à do bandidão da época, o Adhemar de Barros e a atual do Lula, poderíamos dizer que ele foi um trombadinha aprendiz do grande ladrão.
As festas terminavam sempre com uma grande queima de fogos de artifício que ou eram mais seguros, ou o pessoal mais cuidadoso, porque pouco me lembro de acidentes com rojões, queimaduras de bombas ou incêndios provocados por balões.
Quem não tem saudades dos seus quinze anos?

Marinho Guzman
   Otimismo.

Começo a entender as muitas mensagens dos amigos do Facebook mencionando otimismo a toda prova, com toda sorte de catástrofes que assolam a humanidade.
Estão confusos e confundindo ser otimista com a remota possibilidade de estar otimista com o futuro próximo do Brasil.
Ser otimista é uma coisa, estar otimista é bem diferente.

Marinho Guzman
Sou dos que recriminam as excessivas comemorações em datas marcadas, como o dia dos namorados, Natal, dia das crianças e outros, sabedor que quase sempre são campanhas de marketing.
Dia das mães não conta, porque afinal, todo dia e sempre é dia delas.
Ontem foi aniversário da minha querida Amanda.
Desejei os parabéns assim que ela acordou e lembramos a data algumas vezes no dia.
Esse ano não teve bolo com velas, parabéns a você, champagne nem jantarzinho num restaurante gostoso.
Ela recebeu mais de 200 lembranças no Facebook, parentes e amigas mais chegadas ligaram e juntos compramos o presente dela, um perfume que ela gosta muito o Dior Hypnotic Poison pois no frasco dela só tinha o cheiro rsss….
Sei que ela procurou e não achou um pequeno texto como os que escrevo todo ano, mas não reclamou a sua falta, assim como não reclama das minhas faltas, seja porque não são tão graves, seja porque ela as releva na sua magnânima bondade, e sabe, que gestos valem mais do que palavras, que o dia a dia, vale mais do que as comemorações de um dia.
Mas se não teve texto, não foi falta de inspiração.
Falta de inspiração é falta do que falar e eu nunca deixei de ter o que falar da Amanda.
Se a maioria dos dias parecem iguais, ela todo dia é diferente, simplesmente porque a cada dia seu espírito se aperfeiçoa e ela se torna melhor.
Ontem a Amanda completou seu milésimo “Okiyome”, uma dádiva de Deus concedida a uns poucos que têm fé e disciplina. Eu não saberia explicar exatamente o que é nem o que significa mas sei que por mil vezes nesses últimos tempos ela recebeu diretamente a Luz Divina que a torna tão iluminada.
Todos que a conhecem talvez não saibam o que é Okiyiome mas sabem que Deus está presente na vida de todo mundo e tem um olhar especial para a Amanda, pessoa boníssima e que nunca me deixará sem inspiração mas que às vezes podem até faltar palavras que exprimam exatamente as suas virtudes.
Hoje e sempre,
Parabéns
Amanda Palma

Marinho Guzman
Se você não consegue ver e aceitar os defeitos de alguém você não está preparado para conviver com esse alguém.

Marinho Guzman
Ouço uma música vibrante, vejo uma foto marcante, lembro de um tempo tão presente de coisas que não voltam mais.

Marinho Guzman
Compromissos inadiáveis e canos irreparáveis.

Todas as vezes que eu combino algo com alguém, tomo a precaução de escrever o dia, hora, assunto e se for um encontro, o endereço completo e o telefone.
Nada de “em frente ao”, perto da porta de entrada ou “onde tem uma banca de jornais”.
Tomo ainda a precaução de deixar claro que se qualquer uma das partes não puder ir,deve avisar até a hora tal do dia tal.
Tudo isso para dizer que se você marcou alguma coisa comigo pode ter certeza que eu irei ou avisarei antes, caso haja algum imprevisto.
Em contrapartida, caso você me dê o cano, pode ter certeza de que foi o primeiro e o último.

Marinho Guzman
A sensualização nas fotos de publicidade, em especial na moda praia.

Já faz bastante tempo que a publicidade se esforça para mostrar a roupa como arte, transformar as modelos em estrelas e os costureiros em artistas.
Desde o princípio existe a discussão sobre a sensualização na publicidade, especialmente nas fotos.
Assunto polêmico mas sem lances apaixonados, não há muitos famosos que apoiem ou recriminem com veemência essa sensualização, talvez porque a maioria das pessoas goste de sexo e de sexualizar a própria imagem ou simplesmente seguem uma tendência que parece ser predominante.
Salvo raras exceções, modelos são mulheres lindas, com o corpo perfeito e vida pessoal muito exposta, o que permite que todos vejamos como elas são ricas, felizes, têm maridos lindos e filhos “lindinhos” tudo levando a crer que são famosas por isso mesmo.
Não se tem notícias de que essas divas escondam ou se preocupem em mostrar suas pernas, braços, peitos e nádegas, nem em sensualizar tanto nas fotos com as roupas das grifes que representam, ou na vida pessoal.
A praia, o mar, os iates e a exposição sexualizada das suas vidas públicas e privadas se confundem.
Muitas mulheres podem até se queixar da ditadura da moda, predominantemente feita para magras lindas e malhadas gostosas, mas procuram se espelhar nelas , podendo até chegar ao ridículo, como algumas famosas com perto de setenta anos e mais de oitenta quilos, que em alguns casos confundem sexualizar com escandalizar.
Eis um ponto onde pode haver discussão interessante. Sexualizar e escandalizar não são a mesma coisa, não são próximas nem tem a ver com o comportamento da maioria das pessoas.
Felizmente tive poucos casos onde algumas das minhas fotos foram apontadas como “muito sensuais”. Procuro sempre evitar essa possibilidade sem deixar de entender e explicar que fotos de maiô, biquíni, blusinhas e sainhas são roupas que por si só sexualizam, por expor naturalmente a maior parte do corpo.
Já escandalizar, só mesmo algumas mães puritanas de garotas feias e gordinhas que são virgens aos dezoito anos ou escondem da mãe suas suas frustrações sexuais de adolescente, mães essas que geralmente já têm as próprias.
Não há, de qualquer maneira, se descartar que uma das coisas mais importantes na publicidade é fazer com que o assunto tome toda a atenção do espectador e em alguns casos, é a critica e a discussão sobre o assunto que tornam o produto sucesso de vendas.
Dificilmente qualquer coisa é muito vendida se não for muito desejada e a publicidade mostra para criar o desejo e a cliente compra porque deseja o que atende seu gosto seja ele pessoal ou por modismo.
Um outro ponto a ser comentado é o uso cada vez maior de crianças e a adolescentes na publicidade e em especial na publicidade que sensualiza ou erotiza.
Bem mais difícil é discutir questões morais e éticas quando em pauta crianças, adolescentes e jovens que não tem capacidade para entender totalmente as implicações da sexualização. Há, no entanto que creditar aos pais e responsáveis essa orientação, cabendo ao publicitário exclusivamente ater-se às regras de conduta legais, éticas e morais, exigindo a presença desses responsáveis ou no mínimo autorização escrita para a confecção e divulgação desse material, deixando de veiculá-los a qualquer tempo a pedido deles, exceto quando isso foge à sua capacidade como é o caso das fotos repicadas na internet.

Marinho Guzman
  
Está muito difícil ficar com os pés no chão pois o mundo está de pernas para o ar.

Marinho Guzman
O julgamento do homem é feito pelos próprios homens, por Deus e pelas nossas lembranças.
Essas, implacáveis.

Marinho Guzman
O julgamento do homem é feito pelos próprios homens, por Deus e pelas nossas lembranças.
Essas, implacáveis.

Marinho Guzman
A maior crise do Brasil não é a econômica, é a moral e isso não passa nem tem remédio.😬

Marinho Guzman
Que importa que outros subam as escadas que eu já desci...

Olhar para o futuro só é mais importante que relembrar o passado quando se é jovem.
A busca incessante por grandes vitórias deve ser encarada como desafio para jovens.
Assim como o descanso é necessário e merecido, é preciso desacelerar a vida lentamente, trocando o trabalho pelo lazer.
A leitura traz conhecimento pelo puro prazer de saber. Viajar e conhecer muitos lugares são pequenos aclives que levam tão alto como muitas escadas.
Quem lê e quem viaja, ocupa mais o cérebro e suas múltiplas funções com lembranças prazerosas.
Quem ocupa esses espaços com preocupações e novos desafios a cada dia, pode estar trocando possíveis conquistas por velhas vitórias e como num jogo, arriscar-se pode ser bom, mas a perda é sempre uma derrota.
Que me importa que outros subam as escadas que já desci?
É preciso avaliar sempre as perdas, contabilizar as vitórias, arquivar as derrotas e deixar lustrosas as medalhes e troféus que conquistamos ao longo da vida.
Um jovem quando arrisca e perde, tem muito tempo para reverter a situação.
Quando se é velho, as derrotas são sempre mais doloridas porque importam em reconhecer que lições não foram aprendidas
Quem convive com uma pessoa mais velha deve guardar para si as vitórias por galgar degraus e respeitar quem já subiu essas escadas e não deseja repetir façanhas.

Marinho Guzman
  
O passado não retorna, o saudosismo seleciona só pequenas partes
da memória e o futuro precisa ser entendido como o que nos resta, já que a humanidade escolheu viver uns anos a mais, cada vez com dignidade de menos.

Marinho Guzman
   
Heróis e vilões são igualmente lembrados e amá-los ou odiá-los não vai mudar nada o curso da história.

Marinho Guzman
Fim de feira.

Fim de feira é uma coisa muito feia que aproxima o homem do animal que ele é.
Restos de tudo são espalhados pela rua sem a menor preocupação em juntá-los num saco ou caixa.
Parece que nessa hora esses homens, trabalhadores, pais e mães de família quando em suas casas, esquecem essas condições e distribuem suas frustrações para quem quer que testemunhe essa barbárie.
Administrações após administrações no Guarujá vi prefeitos ignorarem esse fato e por isso eu os coloco nas mesmas condições desses feirantes mal educados e mal acostumados, párias da comunidade.

Marinho Guzman
   
Não sei exatamente o que busco mas continuo procurando sempre, agora talvez mais.
Já li muito sobre fé, esperança, otimismo e milagres.
Milagre é a suspensão temporária de leis comuns da natureza e a intervenção de um poder sobrenatural.
Milagres não existem para serem entendidos, a fé serve para suportar as dúvidas e a esperança para garantir o otimismo.

Marinho Guzman
   
A gente enterra um pedaço do passado cada vez que um amigo morre.

Marinho Guzman
No dia dos namorados o comércio fatura mais do que no dia das mães porque mãe a gente só tem uma.

Marinho Guzman
Todos estamos precisando de uma dose extra de esperança para viver no século XXI.
Nos dois mil e dezessete anos dessa era Cristã temos posto à prova a capacidade do homem em transformar para criar, em destruir para inovar.
Ao mesmo tempo em que criamos remédios e tecnologias para aumentar a vida criamos armas e meios fazer sofrer e para matar.
Ninguém conhece qual a dose ou como seria possível medir o sofrimento humano.
Refugiados das nações em guerra e abandonados de todas as nações perambulam famintos pelas ruas e ainda sobrevivem, ricos e famosos tiram a própria vida numa clara demonstração que não suportaram suas dores.
Seria possível dizer que todos sofremos igualmente com a mesma intensidade?

Marinho Guzman







Nenhum comentário:

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá
COMPRE NA NOSSA LOJA VIRTUAL-CLIQUE AQUI