CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO

CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO
Top Model Guarujá fotos de Marinho Guzman

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

16- 301 - 320 do total de 1155 pensamentos na coleção de marinho guzman


Altos e baixos têm pouco a ver com euforia e depressão.

Não há como saber o que é bom se não soubermos o que é ruim e não conheço ninguém que não tenha tido altos e baixos.
Mesmo felizes, todos já sentimos o que é estar triste, infeliz, para baixo.
Mas tudo isso tem pouco a ver com euforia e a depressão.
Vejo no Facebook declarações de desespero, seguidas de surtos de euforia, tudo na mesma noitada, mesmo antes de passar a ressaca.
Essa instabilidade emocional é fácil encontrar em pessoas imaturas, nas grosseiras e mal educadas e não raro atingem quem tenta ajudar.
Algumas garotas bonitas estão acostumadas que se lhes faça muitas vontades para dar uns poucos sorrisos e há garotos que fazem verdadeira tempestade em um copo d'água para granjear alguma simpatia.
Não me ocorre como resolver esses problemas, mas a vida é importante demais para ser jogada fora.

Marinho Guzman

Fodeu? Fodeu!
Não vou rir nem vou chorar, a vitória de Donald Trump é mais um exemplo de que além da unanimidade, a maioria pode ser burra.
Venceu o voto de protesto contra a situação “difícil” em que se encontram os cidadãos americanos.
Mas se está “difícil” para eles, imaginem para os refugiados de todos as ditaduras que fogem das guerras religiosas, das guerras civis e da fome.
Me parece que a maior nação da Terra vai sentir daqui para a frente, como é ter um ditador no poder, uma pessoa despreparada para lidar com a democracia moderna, onde ninguém é igual perante a lei.
A maioria decide e escolhe mal.
A maioria do povo inglês escolheu deixar a Comunidade Europeia, vai ter um retrocesso econômico gigante, a maioria dos americanos trocou uma administração morna, por uma que pode vir a incendiar o mundo.
Só o tempo vai dizer, mas eu acho que Donald Trump não termina seu mandato.
É…. Fodeu!
Mas isso ainda pode ficar pior.

Marinho Guzman

Imponentes ruínas.
Olhando para as fotos das divas dos anos 70 e 80,dá para perceber a maldade do tempo e entender quando mencionadas imponentes ruínas.

Marinho Guzman

Primeiro o mais urgente ou mais importante?
Nas muitas decisões da vida, muitas vezes não se podendo fazer tudo, há que se escolher se faremos o mais urgente ou o mais importante.
Nas sociedades modernas como um todo, os governos dos países emergentes só podem fazer o que se lhes permite o dinheiro disponível ou o que não vai custar nada, ainda que se permita a quem vai pagar algumas contas, a exploração de algum bem ou serviço.
Nessa categoria se encontram as parcerias público-privadas que dependem exclusivamente da capacidade administrativa e gerencial dos administradores.
Começaremos o ano com uma nova administração e em que pese vermos alguns nomes conhecidos por terem colaborado com outras administrações, umas que fizeram pouco, outras que não fizeram quase nada, devemos levar em consideração que há entre eles elementos qualificados, trabalhadores e honestos, que não puderam dar o melhor de si ou porque não tiveram autonomia ou não dispuseram de dinheiro suficiente para colocar em prática ações, fossem elas importantes ou urgentes.
Voltando às administrações anteriores, o que se viu em muitos casos, se não em todas elas, foi dar pão e circo para uma população que precisa de educação e saúde, promovendo shows “grátis” e foguetório inútil.
Não sou contra as festas, sou contra fazer festa com o dinheiro que vai faltar para pagar médicos, hospitais, professores e merenda escolar de qualidade.
Assim, a futura administração se quiser começar bem, deve dar total autonomia para quem possa negociar com a iniciativa privada o foguetório do ano novo, as verbas para o Carnaval e os shows na temporada.
Tenho certeza que serão muitas as empresas dispostas a pagar essas e outra contas se não forem extorquidas com propinas para a exploração da publicidade nas nossas praias.
Talvez essas ações não sejam nem as mais urgentes nem as mais importantes mas darão clara demonstração do que será a honestidade e a transparência nos próximos quatro anos.

Marinho Guzman

Meus acertos não me engrandecem, nem alegram, em razão dos meus erros que os diminuem e me entristecem

Marinho Guzman

Realidade.

Real ou ilusória, a concepção de viver bem nos leva, queiramos ou não, às ideias pré concebidas de conforto e tranquilidade e por que não dizer, de uns luxos.
A vida em sociedade nos obriga a convivência com muitas pessoas, onde ter e poder, significam mais do que simplesmente viver por viver.
Vão longe os dias onde muitos sonhavam com uma casinha no campo para criar filhos e netos, “plantar amigos e livros….e nada mais”.
Nem bem-nascidas, as crianças de hoje se deparam com a necessidade e a obrigação sem escolha de serem criadas nas creches e nas escolinhas.
Cada vez mais, longe dos olhos dos pais, criando hábitos mais e mais parecidos com o das outras crianças e o dos “educadores”, estes, na maioria das vezes cada vez menos preparados, formam-se gerações de profissionais “que o mercado pede” em detrimento das antigas vocações.
Em alguns países da Europa, no Japão e nos Estados Unidos, a educação e cultura podem não estar bem estruturadas para todos, mas está para a maioria e dessa maneira a realidade da vida tem menos diferenças em que pesem as distorções.
Mas essa não é a nossa realidade, o que está aos nossos olhos, é a triste realidade, de que é tal a desvalorização dos vínculos da família que essa exposição tornam a massificação nivelada por baixo.
Sem escolas, sem empregos, sem futuro.

Essa é a nossa triste realidade.

Marinho Guzman

Antes tarde que agora.
Há quem deixe para depois o que deveria ter feito há anos.
Não sou desses.
Sofro por antecipação quando tenho um dos parcos compromissos registrados na minha agenda, que é uma folhinha pendurada no armário do escritório, verdadeiro depósito de lembranças de todo tipo.
Preocupado sim, ansioso também, entender o horário marcado e lembrar exatamente do que se trata aqueles rabiscos, são coisas bem diferentes.
Não esquecer no próprio dia então, um exercício de sofrimento, parte de uma responsabilidade esquecida pelos anos de aposentadoria da gravata.
Para falar a verdade, esse ano não tive mais que dois títulos na agenda: dentistas e médicos.
Por isso o título, antes tarde que agora, posso ficar despreocupado com o horário porque invariavelmente é “chá de cadeira” certo de uma hora ou mais.
Não sei quais dos meus médicos (meus uma ova, são do convênio) ou meus dentistas vão ler essas linhas mas tenho certeza de que não ficarão bravos comigo, pois para eles, meu tempo não vale nada, para eles importante é só o que eles tem para fazer e se a sala de espera chama sala de espera é para esperar, se eles são doutores e eu sou paciente, quem tem que ter paciência sou eu.
Desabafo feito fica o dito por não dito, o chá de cadeira está institucionalizado e quem quiser que espere ou procure outro “profissional”.
Boa noite! Amanhã dentista!

Marinho Guzman

Não deixe para amanhã que deveria ter feito a vida toda.

É um fio tênue que nos permite ir tocando a vida até encontrarmos a temida morte.
Um carro sem direção, um ignorante atrás dela, um escorregão de mau jeito, um mergulho no rio errado.
Rápida e nem sempre indolor, a morte não acrescenta, ela sempre tira. Tira de nós quem amamos e um dia vai nos tirar de quem nos ama.
Doenças novas ou hereditárias, Zyca, colesterol, o temível Alzheimer, tardam mas não falham e a vida ainda pode ser abreviada por delinquentes, que se dão ao luxo de gostar mais das nossas coisas do que nós mesmos, não exitando em tomá-las à bala.
Mas não devemos nos preocupar demais com as coisas materiais pois só vamos usá-las por um breve tempo, tempo que sobretudo não pode ser negado a quem amamos e por quem somos amados.
A vida deve ser mais do que trabalhar, dormir e sonhar.
Será que é preciso um susto para a gente acordar?
E tem o tempo que a gente reclama que demora passar até o final de semana, até chegarem as férias, o tempo que a gente quer que passe logo para chegar o dia do pagamento. Esse é o mesmo tempo que pode fazer falta afinal na nossa estada nesse mundo, tempo para a gente criar laços, tempo que não pode faltar para vivermos enlaçados.
A morte é o final de uma batalha sem trégua, onde o destino sempre ganha e a gente sempre perde.
Não perca tempo com o que tem pouca importância, faça agora o que deveria ter feito sempre, use bem o tempo, não deixe que no futuro você tenha sentimento de arrependimento por sentir que o seu tempo foi mau usado.

Marinho Guzman

Não confunda antecipação do prazer com satisfação rápida.
Numa você vislumbra, na outra ele acaba.

Marinho Guzman

O passado foi feito para ser lembrado, o presente para ser vivido e o futuro para o que der e vier.

Marinho Guzman

Felicidade

Se você conseguir identificar os fatores que o tornam infeliz estará a caminho de encontrar a felicidade.
A felicidade não anda por aí em qualquer canto onde você esbarre nela.
A felicidade é primeiro um desejo, depois uma realidade.
Primeiro é preciso querer ser feliz e isso começa com o bem-estar e a serenidade.
Sem esse desejo e sem disposição não adianta ter coisas ou amigos.
Os poderosos tornam-se infelizes ao descobrirem que o poder não é felicidade, os pobres quando ficam ricos não raro descobrem que a riqueza não trás a felicidade.
Alguém já disse que a felicidade é o que todos desejam... É o que poucos têm... É o que ninguém tem sempre e que todos pensam que só os outros é que têm.

Marinho Guzman

Na faculdade você aprende a aprender mas nem sempre quem sabe faz nem quem ensina sabe fazer.

Marinho Guzman

Quem ama o feio...burro me parece.

Marinho Guzman
Será possível ou provável, que tenhamos um dia causado mal estar ou desconforto a alguém, a ponto da pessoa nos evitar e manter distância sem falar?
E nessa terra onde tudo foi dito, tudo foi falado, do que era fácil já foi feito, fica a pergunta.
Onde foi que eu errei? Teria sido intencional ou inadvertidamente? Ou será que todos os relacionamentos estão sempre fadados a ter fim?
É mais comum que eu tenha esse sentimento com ou sem motivo e me afaste, do que eu o sinta nas outras pessoas em relação a mim, mas há alguns casos onde percebo que conhecidos e amigos passam a evitar contato maior seja pessoal seja pela rede social.
Talvez seja a evolução.

Marinho Guzman

Pois é meu velho….
A frase, dois tapinhas nas costas e um olhar recíproco que traduzem tanto quanto possível todos esses anos de estrada.
Não há muito que se falar da velhice, ela é mais para ser pensada ou quiça repensada, sob a ótica de quem já passou dos sessenta e parece que foi ontem que fez vinte e um.
Agora mais do que nunca, a gente entende e tem certeza que não deve se arrepender pelo que fez mas pelo que deixou de fazer.
Não há tristeza e nem adiantaria perder tempo com o inexorável, o que passou, passou, e oxalá tenha sido bem passado.

Marinho Guzman

Idade.
Não faz muito tempo eu era o caçula da turma.
Muitas vezes fui excluído das brincadeiras e de uma ou outra conversa porque “não era para a minha idade”.
Outro dia eu fiz 50 anos e demorou para “cair a ficha” de que eu era um dos mais velhos naquela festa, pois os mais velhos que eu nem ir a festas iam.
Dezoito anos se passaram daquele dia e a maioria que não queria mais festa já morreu, alguns dos que foram seguiram o mesmo caminho e eu já não tenho vontade nem de fazer festa nem de ir a nenhuma festa.
Mas reconheço, fiz da vida uma bela festa.

Marinho Guzman

Despeitado é um indivíduo que tenta desvalorizar o que não consegue conquistar.É portador de inveja incontida, externada com palavras e atos minimizando o valor alheio.
O despeitado nem sempre percebe mas ele é ridicularizado por tantos quantos convivem com ele.
Despeitados nunca o são uma única vez, com uma só pessoa, por um só motivo e a repetição do despeito se torna um vício marcante na personalidade desse ser indesejável no convívio com as pessoas de bem.

Marinho Guzman

Não importa quanto seu passado tenha sido glorioso, nem o que te espera no futuro se o presente não der alegria de viver.

Marinho Guzman

Quem não te faz falta pouco te acrescentaria.

Marinho Guzman

Os que vão e os que ficam.
Ninguém fica velho antes do tempo e ninguém deveria morrer antes dessa hora.
Ficar velho é algo que não se ensina porque não dá para aprender.
E nesse caso, os conselhos valem pouco, porque de verdade, para pouco servem.
Quem faz como os outros dizem, faz o dos outros, não o seu próprio.
É nessa caminhada sem volta, onde é possível olhar para trás mas impossível refazer qualquer coisa, ou fazer o que deixou de ser feito que mora o arrependimento.
Alguns se arrependem muito, uns poucos não se arrependem de nada e a maioria vive demais os últimos anos com essas lembranças imutáveis.
Quem parte leva tudo dele consigo, deixa um pouco de lembrança, e aquilo que um dia possa ter sido seu tesouro de nada valerá porque só há uma certeza, do pó viemos e ao pó retornaremos.

Marinho Guzman



15 - 281 - 300 do total de 1155 pensamentos na coleção de marinho guzman



Não é difícil diferenciar o certo do errado, difícil é fazer certo sabendo que pode dar errado ou deixar de fazer o errado sabendo que pode dar certo.

Marinho Guzman

Ninguém ganha todas, o importante é não perder todas.

Marinho Guzman

Não dá para ganhar todas, o importante é acertar a maioria.

Errar, arrepender-se, voltar atrás e pedir desculpas fazem parte dos acertos e são algumas das maiores virtudes do homem.
Saber tudo, acertar sempre e jamais voltar atrás, podem ser os grandes erros que causam grandes males.
A prudência e a razão são virtudes da experiência, que só se adquire com os erros e os acertos.
Ninguém ganha todas, o importante é não perder todas.

Marinho Guzman

Otimistas são visionários que ignoram a realidade.
Jogam com a esperança a realização de quase tudo e debitam aos pessimistas o resultado negativo da verdade.

Marinho Guzman

Afundando a galinha dos ovos de ouro.

O Brasil acostumado a tratar mal quem nele investe, está perdendo o mercado de cruzeiros marítimos para outras regiões do mundo.
Motivos diversos altos custos de atracação, embarque e combustível.
A estrutura dos pontos de parada também são inferiores às de outros países.
Veja alguns dados fornecidos pela reportagem no Jornal A Folha de São Paulo de 24/12/2016.
552 mil passageiros na temporada 2015/2016.
383 mil vagas disponíveis nessa temporada 2016/2017 ainda não preenchidas.
Recuo de no mínimo 30% no número de passageiros e receitas.
No mundo a atividade cresceu 4,5% nesse período.
120 atracamentos, na temporada 2015/2016 apenas 39 confirmados na cidade de Ilha Bela.
Ubatuba ano passado 9 atracamentos, esse ano nenhum.
Santos ano passado 17 embarcações, esse ano 14.
Segundo estudos da Fundação Getúlio vargas cada passageiro gera cerca de R$446,00 em receitas diretas e indiretas em cada cidade onde o navio para e por esses dados Ilha Bela perderá cerca de R$54 milhões de reais em receitas.
Tá bom ou vai perder mais?

Marinho Guzman

Zero à esquerda.

Não chego a ser um zero à esquerda, mas ser nada e tão pouca coisa,
faz com que eu pense onde foi que eu errei.
De tanto ver triunfar as nulidades, Ruy Barbosa ficou com vergonha de ser honesto e dá para sentir que a honestidade não é nem de longe o primeiro requisito para o sucesso.

Marinho Guzman

Sonho

Éramos três no meu sonho, a terceira pessoa eu não consigo lembrar ,mas a segunda era seguramente você.
Eu discorria calmamente sobre as preocupações que tinha com a vida, com a família, com nossa cidade e com os rumos desastrosos que o Brasil tomou, iludido por pessoas normais que se tornaram bandidos, inebriados que foram pelo poder.
Você parecia comungar com os meus pensamentos, e teria até concordado com a minha ideia de nos chamarmos atenção cada vez que fossemos reclamar mais uma vez de alguma dessas coisas que embruteceram a natureza humana, envenenando o planeta e tornando mais difícil a vida.
Concordamos que cada um de nós ao seu tempo e na nossa idade, já havíamos gasto tempo suficiente tentando fazer com que as coisas andassem nos trilhos, que todos colaborassem como e com o que pudessem para o bem comum.
Perdemos nosso precioso tempo, fomos reconhecido por poucos e ironizados pela maioria.
Daria para contar nos dedos os prazeres que sentimos com as conquistas e encher umas caixas com os dissabores.
Escrevo essas linhas para pedir que você não esqueça de me alertar sempre que eu for reclamar de alguma coisa.
Farei o mesmo, e se você descobrir quem era a terceira pessoa no sonho me diga, para eu não pensar que estivemos sozinhos nesse sonho e nessa batalha perdida

Marinho Guzman

O tempo deixa as marcas mais visíveis na pele e as mais profundas na memória.

Marinho Guzman

Perdoar.

Perdoar dizem, é divino.
Talvez porque errar é humano, porque todos nós erramos e se não houver perdão, breve não haverá mais erros nem acertos, só um monte de chatos se achando o máximo, pensando que estão sempre certos.
Hoje perdoei o Jô Soares.
Fazia muito tempo que eu não assistia às suas entrevistas porque passei a achá-lo um chatão tentando mostrar ser superior e intelectual, toda hora interrompendo seus entrevistados no meio das respostas.
Mas com a iminência da sua despedida depois de vinte e oito anos e dos vários compartilhamentos que os dois últimos programas tiveram eu os assisti pela internet.
Vi um Gordo diferente, que finalmente foi igual aos melhores anos do passado.
Vi um cara humilde relembrando alguns dos ótimos momentos do programa, que existiram tanto pelas suas perguntas inteligentes e bem colocadas, como pela boa escolha dos entrevistados que invariavelmente tinham coisas inéditas para contar.
Vi um cara que deve ter passado muitos dias e noites pensando se seria a hora de parar, principalmente pela enxurrada de críticas que vinha sofrendo, por aparentemente babar os ovos dos poderosos, sabe-se lá porque.
Sou suspeito para falar das críticas pois parei de assisti-lo faz tempo, muito antes dessas acusações.
Fiquei com a séria impressão de que terminado esse ciclo de programas diários que desgastaram a sua imagem virá para ele um novo tempo ainda melhor.
Com sua inegável inteligência e capacidade, acho que breve teremos mais desse cara incrível que pode ter errado mas que não persistiu no erro.
Gostaria agora de ter notícia de que o Faustão vai encerrar definitivamente seu programa na semana que vem.
Poderia até perdoá-lo, em que pese não ter a nenhuma esperança de vê-lo fazer no futuro algo realmente aproveitável.

Marinho Guzman

Só se vive uma vez.

E isso tem que ser bastante, tem que ser suficiente e pleno, porque arrepender-se do que não se fez é impossível.
Soa como redundância, mas observando algumas pessoas parece que elas não sabem que aos quarenta ela já passou da metade, aos cinquenta certamente já viveu a maior parte, aos sessenta ela já viveu muito mais do que poderá repetir.
Como dizia uma velha empregada, “cada um sabe de chi”.
Cada um sempre teve livre arbítrio para fazer suas escolhas, houvessem ou não sido as melhores, e se as lembranças não forem as que a gente desejaria, o melhor a fazer é esquecer e tocar para frente, nunca ficar culpando os outros porque a vida da gente não deu certo, o que é meio caminho para que isso continue acontecendo.
Falar parece fácil. Mas o que fazer com os ex-maridos e mulheres? O que fazer como os filhos que enfrentam agora aquilo pelo qual nós já passamos, já erramos, já sofremos e não conseguimos transmitir? Como ajudar para que outros não cometam os mesmos erros?
Realmente não há muito a fazer!
Quando as relações se deterioram é como um cristal que se parte. Não há remendo que resolva. Melhor abandonar uma causa perdida do que continuar a procurar remédio para o que vai continuar sendo só remediado.
Só se vive uma vez e se você tiver isso presente, vai ver que a perda de tempo talvez seja o único erro que não pode ser repetido.
Só se vive uma vez, uma única vez. Não perca nenhum tempo com quem não merece, porque essa pessoa estará roubando a sua vida.

Marinho Guzman

Minha inexperiência da juventude vem sendo trocada por atitudes mais adultas e acertadas.
Minhas dúvidas a respeito do futuro cada vez mais contestadas.
Minha crença de que o fim é só o fim, cada vez mais confirmada.

Marinho Guzman

Quem tem o que precisa é mais feliz do que quem não tem tudo o que quer.

Marinho Guzman

Coisas da idade.

Quando a gente é novo não pensa em ficar velho, quando vai ver já é velho.
Apesar de ser uma catástrofe, não me pareceu catastrófico ficar velho. A gente vai se acostumando e quando vê a velhice já chegou, e com ela a certeza que não dá para voltar.
E a idade não é como para certas bebidas, não te deixa melhor mas pode ensinar a sobreviver com essas “velhices”.
Eu por exemplo, me irritava com qualquer barulho, com alguma coisa fora de lugar ou com a ignorância das pessoas.
Não que eu tenha me acostumado ou que goste, mas criei uma certa tolerância que me faz bem, provavelmente na medida inversa que me incomodava.

E o que resta?
Ouvir Billy Paul!

Marinho Guzman

Seria o sono uma experiência vivida da morte?

Marinho Guzman

"Todos os inimigos podem ser vencidos"
Fidel Castro

Derrotado pelo egocentrismo

Desde sempre os recordes são batidos, as marcas superadas e para alguém bom sempre acaba aparecendo outro melhor.
A superação pode ser derrota ou lição de que a vitória, por mais gloriosa e merecida, acabará cedo ou tarde fora do pódio.
Ao ser o primeiro, chegar mais alto e ser o melhor, ninguém está bem preparado para o sabor da derrota que existe e um dia virá.
Para um bom sempre surgirá outro melhor.

Marinho Guzman

Não reclame da vida na internet
Provavelmente 10% dos seus “amigos”querem que você se foda, 88% não estão nem aí e os 2% restantes pouco podem te ajudar.
Aliás, a única pessoa que realmente pode ajudá-lo aqui é você mesmo.

Marinho Guzman

É difícil gostar do que não se conhece, mas é impossível gostar muito do que não se conhece bem.

Marinho Guzman

Quando o problema é iminente,o futuro é o que menos importa.

Marinho Guzman

Encontros, desencontros, esbarrões e trombadas.

A vida é muita coisa, inclusive uma via de muitas mãos.
Cheia de cruzamentos, sinais verdes, vermelhos e amarelos, uma via onde você trafega de carro, de moto, de bicicleta e a pé, nos dois sentidos e ainda pode cruzar em qualquer ponto.
Parece o caos e é mesmo.
Então é natural você andar lado a lado, mas também pode esbarrar ou até bater de frente e o importante é seguir sempre e se necessário se desculpar.

Marinho Guzman



sábado, 18 de janeiro de 2020

14- 261 - 280 do total de 1155 pensamentos na coleção de marinho guzman


Ninguém chega a João Dória vestindo roupa de gari.
É preciso ter capacidade, bom senso e cercar-se de pessoas capazes, ou no mínimo afastar-se dos corruptos de sempre.

Marinho Guzman
Quem não tem Garota de Ipanema fica mesmo com a Garota de Itapema...

Marinho Guzman

Constatados os crassos erros nas eleições de Lula, Dilma, Farid Madi e Maria Antonieta lamentamo-nos pelas consequências de termos sido conduzidos a um país com a economia em frangalhos e a cidade do Guarujá transformada em Pérola dos mendigos.
Entretanto, pela falta de punição efetiva e pela falta de criação de mecanismos que impossibilitem os ignorantes elegerem nossos governantes, fica a impressão que qualquer dia, a qualquer hora isso possa se repetir.
Sou pelo fim do voto obrigatório, dos menores com dezesseis anos, dos analfabetos e o de todos que defendem a democracia como governo de uma maioria idiota.

Marinho Guzman

Por pequenos gestos se conhecem as grandes pessoas e a malevolência incrustada em algumas almas.
É tudo o que se pode dizer das críticas à passagem de Da.Letícia e à peruca do Eike Batista.

Marinho Guzman

Não raro quem não demonstra piedade cedo ou tarde mostra mais defeitos ocultos.

Marinho Guzman

Quando você elogia ou festeja um crápula,especialmente políticos, não transfere muita coisa para ele, nem as pessoas acreditam muio nisso, mas pensam logo que você está ganhando alguma coisa e absorvendo algo de ruim que ele tem.
Nesse caso, é bem provável que você não engane ninguém, por muito tempo.

Marinho Guzman

Jovens são como atores principiantes subindo pela primeira vez num palco, podem ter todo o talento do mundo mas não têm a experiência dos aplausos nem a decepção das vaias.
Velhos não decoram o papel eles representam a realidade.

Marinho Guzman

Redes sociais e internet.

De repente parece que o mundo político se deu conta da força inimaginável das redes sociais e da internet.
De A a Z, eu diria de Trump a Suman, de Michel Teló, perdão, Michel Temer, o caricato, com seus gestos teatralizados e mãos de maestro, passando com louvor por João Dória o maior comunicador atual moderno que eu conheço, os políticos que já sabiam que administrar é gerenciar prioridades, dão mais, primeiro e sem censura, satisfação ao público das redes sociais do que quaisquer outros políticos do passado.
Tuitando ou em posts bem estruturados no Facebook eles, com seus próprios dedos, dizem o que pretendem fazer, contam o que fizeram e têm a força das massas para pressionar quem lhes fizer oposição, ainda que meio esdrúxulas possam parecer as promessas de resolver o problema das enchentes no Guarujá, do envolvimento político dos Estados Unidos nas guerras alienígenas ou o monte de problemas juntos que se acumularam em São Paulo pelas desastrosas gestões petistas de Luíza Arundina, Marta Suplício, e do péssimo Fernandinho Beira Haddad.
E se eles já perceberam isso, nós temos que perceber a força que podemos ter sendo a parte principal desse público que merece satisfação.
Somos nós que podemos e devemos pressionar para que eles só tenham tempo para trabalhar e dar satisfação, sem tempo para conspirar.

Mandemos brasa!

Marinho Guzman

Ao fotografar eu não consigo realizar sonhos mas consigo transformá-los numa imagem.

Marinho Guzman

Lembrando o discurso de transmissão de cargo de Presidente e posse da Associação Comercial do Guarujá 1999.

MUITO FAZ QUEM NÃO ATRAPALHA



Há um ano fui convidado a assumir a presidência da Associação Comercial de Guarujá. Tentei de todas as maneiras furtar-me à responsabilidade, capitulando quando percebi que nesse crítico momento ou aceitava ou veria perdido o trabalho de muitos companheiros que como eu buscavam levantar a associação que tem mais de trinta anos na cidade.
Em nenhum momento achei que seria fácil a missão.
Tínhamos poucos sócios pagantes, uma receita mensal em torno de mil reais, insuficiente para pagar o aluguel e a secretária e um saldo negativo que foi coberto antes da posse por alguns sócios.
Pior do que a situação financeira, era o acreditar na possibilidade de uma associação para servir e não para servir-se.
Ousei mostrar serviço sem pedir nada. Trabalhei com a prioridade de fortalecer o quadro associativo. Hoje temos quase 500 sócios pagantes, receita suficiente para cobrir todos os gastos, o que nos permite investir na imagem da Associação, fornecer balcão do SEBRAE, Serviço de Proteção ao Crédito, convênio com assistência médica e dentária a custos mais baixos para os associados, na UNIMED e TOI.
Tão importante como os serviços e a representatividade conseguida, impusemos respeito.
Respeito que foi muitas vezes colocado à prova com intrigas e mesquinharias, mas que resistiu por todo o meu mandato com respostas incisivas, educadas e sem medo, fazendo calar a boca os detratores da verdade.
Nesse trajeto perdemos uns quatro ou cinco sócios por não concordarem com o que não estão acostumados a conviver.
Honestidade, probidade, hombridade e outras boas condutas que não puderam suportar.
Tivemos a perda, essa sim irreparável, do colega, amigo, mestre e responsável maior pela reativação da associação, o inesquecível Vitor de Azevedo Marques, com quem pouco convivi e muito aprendi e a quem credito todo mérito que possa ser destinado à minha gestão. Foi ele quem me convenceu que seria possível ajudar a classe e a cidade por esse caminho.
Para quem não acompanhou nesse pouco tempo o trabalho dos colegas Luis Pagode, Ronaldo Sachs, Sérgio Cesar, Heitor Gonzales, Alcy Leite e alguns outros, pode parecer que o trabalho foi fácil, mas efetivamente não foi, como podem testemunhar todos que aqui estão.
Se tivéssemos mais alguns como eles, certamente teríamos mais de mil associados, o que vamos conseguir nesse próximo ano, com o novo presidente que poderia ser sem dúvida qualquer um dos acima nomeados, mas que por nossa escolha será Heitor Gonzales, com quem estaremos bem representados.
Continuarei participando da associação com o novo conselho administrativo que terá uma função mais atuante, que junta os nomes mais representativos da cidade, sem preocupação política de agradar ninguém.
Não é possível esquecer a colaboração da nossa secretária Heloísa e do moço Wagner, bem como de muitos que anônima e abnegadamente ajudaram a colocar a Associação Comercial na confortável situação de uma das maiores associações de classe da cidade.
O trabalho da próxima diretoria será ainda mais difícil.
Pouco nos foi cobrado, já que estávamos sedimentando uma base, partindo de quase nada.
Daqui para a frente, as cobranças e comparações serão inevitáveis, o que será bom para a associação e para os associados, que deverão colaborar ainda mais para o crescimento de sua representatividade.

Alguns podem pensar que as coisas serão mais fáceis para o poder que não cumpre as suas obrigações e dificulta como pode a vida dos comerciantes.
Tenho certeza de que próximo presidente fará exatamente como eu fiz, lutando contra os privilégios odiosos dos afilhados do poder, contra a concorrência desleal que admite o comércio temporário predatório e outros privilégios que todos conhecemos e abominamos.
Seu bom senso não permitirá que confundam franqueza com fraqueza.
Para quem não colaborou e tentou prejudicar a Associação no passado. Não tente isso com a atual diretoria, pois não foi fácil e nem vai ser...
Muito faz quem não atrapalha.
Aquele com seus longos e repetitivos discursos, não tem vergonha de mentir, prometer, acusar de turma do quanto pior melhor, de fracassomaníacos, reis do blá... blá... blá... e outros termos copiados do nosso presidente, não nos ajudou em nada nesse ano, tentou na verdade e muitas vezes conseguiu, desestimular, atrapalhar, atravancar o trabalho que hoje entrego ao atual presidente que será, como eu fui, pura e tão somente representante da vontade dos que o indicaram, com um compromisso maior do que continuar o trabalho.
Com certeza o tom dessas minhas palavras não agradará a muitos e desagradará os de sempre.
Deixo ao meu sucessor os melhores votos e tenho certeza ele terá muito sucesso,para o bem e gáudio de toda a classe que representa.
Muita sorte e bom trabalho, senhor presidente.

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE GUARUJÁ
Mário Pacheco Guzman

Presidente do Conselho Deliberativo
1.999

Marinho Guzman

Prepotência, arrogância, ameaça e vingança são as armas do ignorante.

Marinho Guzman

Tem gente que se apega tanto no politicamente correto, que esquece de fazer o que é absolutamente necessário.

Marinho Guzman

Todo dia tudo parece tão igual.

O sol nasce, o transporte coletivo gira nervoso, as pessoas vão, cada uma para o seu trabalho, as aulas começam, o comércio abre, os restaurantes e botecos preparam o almoço, o corre-corre nervoso dos transeuntes parece ser o ideal do povo, todo mundo andando de um lado para outro,como se cada um tivesse um rumo diferente mas que no fim é igual, isso porque os afazeres diários têm sido a razão principal de viver.
Para alguns depois do trabalho ainda há a escola e chegar em casa para o descanso parece cada vez mais distante, ideal quase inatingível que culmina com um travesseiro, que cada vez menos cumpre a tarefa de descansar cabeças.
As outrora oito horas de trabalho e oito de sono se apertam diante das obrigações que cada vez mais se alargam, açambarcando as outras oito horas no transporte torturante, no trânsito cruel, na violência urbana que consome o tempo, a paciência, e a verdadeira razão da vida, que é o prazer de viver.
Quando a gente pensa que há dois dias inteiros para o lazer, o sábado e o domingo, o cansaço toma para si algumas horas, o trabalho de casa outras tantas e quem pensa em dar uma saída para encontrar os amigos ou ir ao cinema pode estar assinando a própria sentença de morte, ao arriscar-se com a violência nos bares e discotecas ou ser roubado num arrastão nos restaurantes, sem falar que pode ser parado numa blitz e flagrado no bafômetro.
O domingo que sempre foi dedicado ao Senhor hoje é dia de praia, cinema, shopping e qualquer outra coisa, menos de agradecimento, compartilhamento e oração.
Ah... quando eu falei que domingo é sinônimo de praia estou falando isso para quem mora na praia, porque se você mora em qualquer cidade a cem quilômetros dela, que sejam, pode esquecer, porque chegar a pisar na areia e a molhar a bunda pode significar horas e horas de congestionamento nas estradas sob sol escaldante e chumbo quente, uma vez que os congestionamentos estão para os ladrões tal quais as outrora estradas de terra esburacadas estavam para as diligencias do velho oeste, onde os bandidos mascarados depenavam os viajantes.

Se você concorda comigo, é hora de mudar e se não concorda é porque não sabe quanto é bom para quem já mudou...

Marinho Guzman

A longevidade e o apego exagerado à vida me faz pensar que certas pessoas têm muito medo do juízo final.

Marinho Guzman

Há quem pense que está resolvendo um problema mas está criando vários.


A organização social econômica e política é essencial para a manutenção da paz social.
Há parcelas da população em qualquer parte do mundo que sofrem com a falta de educação, falta de emprego, falta de comida e falta de justiça.
Na nossa cidade há centenas de favelas e milhares de desempregados, todo buscando sobreviver.
É nessa toada que parte da sociedade dita privilegiada aceita a mendicância, tolera o crime de extorsão dos guardadores de carros e se apieda dos ambulantes que vendem de tudo nas ruas e nas praias.
Ocorre que quando a administração deixa de organizar e fiscalizar qualquer atividade os efeitos colaterais são mais maléficos do que podem parecer, senão vejamos:
As empresas de transporte coletivo funcionam ou deveriam funcionar vinte e quatro horas por dia atendendo a população.
Se lhes fosse permitido, reduziriam esse horário só para os horários onde há grande quantidade de passageiros, o valor da passagem seria muito menor mas população estaria desassistida a maior parte do dia.
O mesmo acontece com o comércio na nossa cidade. Durante todo o ano os comerciantes mantém as portas abertas, funcionários registrados e pagam aluguéis e outros encargos.
Só no verão contam com grande número de veranistas e turistas que deveriam lhe garantir o faturamento para subsistirem por todo o ano.
Nos últimos anos da desastrada administração de Maria Antonieta de Brito, toda sorte de desmandos foi tolerada. Existem milhares, vou repetir, milhares de carrinhos de roupas, alimentos e outras quinquilharias vendendo as mesmas coisas que se vendem nos bares, padarias e nas lojas dos pequenos comerciantes do Guarujá, exclusivamente na temporada, fazendo a concorrência desleal que faz minguar o faturamento das lojas estabelecidas que não conseguem mais sobreviver o ano inteiro atendendo regularmente os moradores da cidade.
Nos próximos dias questionarei a Ouvidoria do Guarujá para saber quantos são, quais as atividades permitidas e qual a localização desses ambulantes bem como qual o regime fiscal obrigatório para os que vender roupas nesses carrinhos que têm mais mercadoria do que muitas lojas estabelecidas, pagando impostos, aluguéis e outros encargos durante todo o ano.
Não adianta tolerar a ilegalidade.
Ou todos nos locupletemos ou restaure-se a moralidade.(Stanislaw Ponte Preta).

Marinho Guzman

As quatro estações do ano

É no outono da vida que a gente lembra, que já se foram a primavera e o verão e que o inverno se aproxima.
Das possíveis comparações, já passamos pelas cores alegres e fortes, já deixamos as temperaturas amenas, já erramos e tivemos as nossas chances de aprender para acertar.
Agora partimos para um certo recolhimento, as feições se tornam mais sérias, mesmo que a gente não queira e tente disfarçá-las.
Cada estação tem as suas belezas, mas é importante que a gente esteja vestido de acordo e esteja sempre preparado para uma retirada rápida e estratégica.
Quando o jovem erra a gente perdoa e diz que foi um engano. Quando um velho erra a gente diz que repetir os erros é burrice.
E, a qualquer tempo, para um coração gelado pode aparecer um casaco antigo, esquecido em algum canto da memória.

Marinho Guzman

As aparências não enganam.

Em Nova Iorque nos anos 90, o então prefeito Rudolf Giuliani implementou o que foi chamado de tolerância zero, um projeto de recuperação da cidade que começava por acabar com a impunidade por menor que fosse.
A grosso modo, explicava-se, a degradação e má conservação de prédios públicos e privados da cidade geram reação negativa em cadeia e o que começa com uma janela apedrejada num prédio leva os indivíduos a destruirem ou ocuparem ilegalmente o imóvel abandonado.
Em São Paulo o recém-empossado prefeito João Doria começou sua administração limpando, recapeando avenida Nove de Julho inclusive com a troca de placas de sinalização e retomada dos baixos dos viadutos que haviam virado favelas.
Mais do que cuidar do próprio público, essa ação quis e conseguiu mostrar que se você não cuidar da cidade os cidadãos não se preocuparão em mantê-la limpa, conservada e digna de admiração.
Na esteira dos grandes administradores, o prefeito Valter Suman tem se empenhado pessoalmente nas ações que visam dar ao guarujaense orgulho de viver na cidade que voltará a ser a Pérola do Atlântico, uma joia verdadeira que fará com que nós a guardemos com respeito e lugar de destaque.
Colabore como puder, denuncie quem joga lixo e entulho nas ruas e vamos cobrar a fiscalização dessas denúncias.

Marinho Guzman

O Facebook e o teatro que a vida é.

Tenho entre meus amigos do Facebook vereadores, deputados, prefeitos, governadores e muito mais gente importante.
Amigos virtuais.
Tenho reencontrado aqui velhos amigos que são vencedores nas suas profissões e outros que como eu, pularam de galho em galho e devem estar gratos por ainda estarem vivos.
Foram grandes as viagens, grandes aventuras .Várias quedas.
Tenho amigos de dezenas de anos e outros de poucos dias. Todos enganosamente tão próximos quanto um único clique, o que dá para perceber quanto é errada a percepção da distância na internet.
Mas é por aqui que tenho feito dos conhecidos, virtuais amigos, e com os velhos amigos relembrado gostosas experiências.
Cada dia fico mais grato pelos meus muitos erros.Eles me proporcionaram os acertos.
São os acertos que me trazem as memórias mais fortes dessa experiência única que é viver.
Cada dia fico mais grato por ter vivido o suficiente para poder escrever essa história, ao invés de ter vivido a história dos outros ou a história que gostariam que eu trilhasse.
Cada linha que eu escrevo é a síntese de muitos dias de viver intenso.
Em cada “curtir” que eu recebo sei que escrevi algo que fez com que essa pessoa também revivesse um pouco da própria história.
Se com os velhos amigos tive história , resta a possibilidade cada vez menos remota, de continuar a escrever novas histórias. Ainda que virtuais.
E vamos e venhamos, de que adiantaria eu ficar me lamuriando aqui ou em qualquer lugar, pela vida que eu deveria ter vivido e da história que eu poderia escrever.
Muita gente já escreveu que a vida não tem ensaio. O show tem que continuar!
Então gente, qualquer “curtir” prá mim tá mais para aplauso do que para vaia...quem sabe a gente ainda não participa junto de mais um Ato.
Curti aí pô!!!

Marinho Guzman

Guarujá é o melhor lugar ruim para se morar.

Guardadores de carros, ambulantes, som alto em todo lugar, trombadinhas de monte, ruas cheias e praias mais do que lotadas, fila até para entrar na fila.
Esse é o Guarujá.
E ainda assim o melhor lugar para se morar, passar as férias ou uns poucos dias.
A não ser multimilionários que podem escolher lugares exclusivos, onde não há acesso a simples mortais como eu, você e mais de um milhão de pessoas que passarão pela cidade nesse verão. Só eles poderiam reclamar do nosso Guarujá.
Mas esses não aparecem por aqui então o melhor mesmo você que mora, tem casa ou vem passar uns dias por aqui é parar de reclamar e aproveitar tudo que há de bom.
Estamos no Brasil, no Guarujá e a gente pode até recriminar os políticos por não cuidarem da cidade mas sempre lembrando que cada lugar tem seus problemas.
Curta o Guarujá!
ET ainda que as notícias não sejam as melhores, será a cidade do litoral de São Paulo que sempre recebeu e vai continuar recebendo mais gente o ano inteiro.
E isso não é por nada!

Marinho Guzman

Ao escrever você fala com você mesmo e quando resolve publicar fala para uma uma plateia que concorde ou não com as suas ideias pode gostar da forma como ela foi colocada.
Escrever é um dos raros prazeres que não custa nada mas depende muito do investimento que você fez anteriormente.

Marinho Guzman



Miss Guarujá-Biquinis Guarujá

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá
COMPRE NA NOSSA LOJA VIRTUAL-CLIQUE AQUI