CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Um dia chove, mas no outro faz sol. São dias de frio, chuva e lembranças tristes, que me fazem lembrar que depois do inverno sempre chega o verão.

O tempo é o senhor da razão.



O tempo esclarece dúvidas, o tempo prova e comprova, o tempo mostra alternativas.
O tempo responde definitivamente algumas perguntas, acaba com dúvidas atrozes, traz luz a questões sombrias e situações tenebrosas.
O tempo muda as prioridades, aumenta a experiência com a idade, acaba com quase todas as vaidades.
Quando a gente pensa que tem todo o tempo, o tempo prega grandes peças, tirando a gente dos outros e os outros da gente.
A ansiedade e as expectativas são inimigas do tempo. Uma tenta ignorá-lo e a outra mostra a realidade nua e crua. 


Não tome posições definitivas, porque o tempo se encarrega de mostrar que ninguém está absolutamente certo nem totalmente errado.

domingo, 21 de julho de 2013

A redundância da mídia, o Papa e a sacanagem no Guarujá.


Sou fã incondicional do Carlos Heitor Cony  que não vou apresentar porque ele não precisa de apresentações.
Em recente crônica ele fala que o pior defeito da mídia é a redundância e que quando o assunto está  na moda todo mundo comenta a mesma coisa.
Não vou falar da visita do Papa mas adaptar a estória contada  à nossa cidade.
Vou por aqui... Determinado empresário paraguaio, desejando estender seus tentáculos nas licitações brasileiras, talvez  uma das mais corruptas do mundo, procurava insistentemente uma maneira de chegar à prefeita para digamos, “apresentar suas propostas”.
Conversou com diversas pessoas e finalmente surgiu o nome de um indivíduo que agiria nos meandros de todas a putarias da cidade,
sendo a pessoa indicada para qualquer encontro.
De posse de um telefone e várias  tentativas, ele conseguiu falar com a tal eminência parda e apesar  da dificuldade em expressar-se no portunhol, trocando  palavras  quase em código e   estritamente necessárias para esse tipo de negócio espúrio, a entrevista foi marcada.
Sozinho, por exigência, ele chegou a  uma enorme casa no Jardim Virgínia e quando apontou  seu carro os portões se abriram automaticamente mostrando um jardim imenso e várias garotas muito bonitas em sumários biquínis, algumas só com a calcinha...
Um segurança indicou o lugar onde ele deveria estacionar e uma moça lindíssima, sumariamente vestida veio fazer as honras da casa.
O paraguaio estranhou o lugar e a tal moça, mas como nesse negócio de licitações a  há  grande mistura de sexo com negociatas e é um tal de um foder o outro que ele deixou rolar.
Passaram por corredores cheios de portas de onde se ouvia musica alta e risos, até uma onde havia outro segurança que se afastou e deixou-o passar.
Era uma sala muito grande, com um bar sortido e um único computador com um monitor imenso. Numa das cadeiras estava um homem negro, elegante e de porte atlético que lhe ofereceu uma bebida que  ele educadamente declinou e sem mais palavras convido-o a sentar e começou a passar fotos sensuais de garotas de biquíni  e nuas.
Disse algumas palavras das quais o paraguaio só entendeu que era para falar sim ou não.
No...no...no...no... e depois de mais umas quarenta negativas o rapaz perguntou: Senõr...o que quieres? Já lho a mostrado unas quarenta das melhores  chicas de Guarujá... que tal quieres?
E o paraguaio balbuciou: desejo hablar  la prefeita, la que manda em las cosas... la que está hodendo El Guarujá...Maria... és la chica...
O negro suspirou e disse: Senõr, no tiengo fotos de la prefeita, mas se ustedes quieres tengo  las fotos de uma  secretária de gobierno e unas dos o três, diretoras, só esto és possible.

Pano rápido!!!

domingo, 14 de julho de 2013

De onde menos se espera...


É de lá mesmo que não vem nada, diriam alguns.
Mas não há como confiar cegamente nos seres humanos.

Assim é, que podemos esperar o improvável e ter certeza de que a traição é regra numa sociedade onde vale quase tudo para quem não vale quase nada.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Comparações.


Uma das maneiras de avaliar alguém ou alguma coisa é compará-la com outra da mesma, ou de outra espécie, levando em consideração as semelhanças e diferenças, o que pode aumentar ou diminuir o seu valor de acordo com os nossos desejos e as nossas opções objetivas e subjetivas.
A definição é minha e não desejo com ela esgotar qualquer assunto, senão apreciar uma das muitas facetas nas comparações que fazemos no dia a dia, até mesmo sem perceber, no trato com as pessoas que conhecemos e convivemos.
Há dias em que eu acordo e o sol está radiante, a temperatura amena, a paisagem mostra um mar calmo lavando as areias brancas da minha praia. Imediatamente dá vontade de abrir a janela, respirar fundo e agradecer por ver e viver essas coisas boas.
 Outros dias o vento sopra frio e forte, há uma neblina que não permite ver muito longe, o mar está revolto, as areias parecem escuras e não fazem um convite à caminhada. O primeiro pensamento é voltar para a cama ou ver de que tarefas posso me livrar para não ter que sair de casa.
Há dias em que caminhando pelas ruas da nossa cidade eu vejo algumas pessoas com quem me relacionei ou simplesmente conheço de vista e delas só tive boas impressões pela maneira com que me trataram e como eu vi que elas tratam os outros.
O sorriso é instantâneo, o bom dia sai claro e sonoro. Há um instante de alegria no ar, porque essas pessoas emanam uma aura de bem estar, parecem que refletem luz.
Há dias, em que a simples lembrança indesejável de uma pessoa (pode ser até porque eu tenha visto na televisão um comercial de alguma joia, relógio ou do Boticário), faz com que as associações causem um muxoxo, tragam uma lembrança ruim, de alguém cuja desfaçatez e um balbuciar meio gago, teimem em me levar a fazer comparações desagradáveis e minha cabeça fique tentada a ter maus pensamentos.
Algumas pessoas são como raios de sol e luz e outras emanam maus presságios, maus pensamentos e a gente percebe que a sombra das suas atitudes não permitem que elas possam refletir coisas boas, nem mesmo um sorriso ou um raio de sol.
Corro fechar a janela.


terça-feira, 9 de julho de 2013

Ter experimentado muitas coisas não quer dizer senão, que se experimentou muitas coisas.

A vida traz experiência mas nem sempre traz sabedoria.
Os jovens devem saber que não podem julgar os mais velhos pelas atitudes que tomaram, antes de viver as suas próprias experiências. Nessa hora, já não serão mais tão jovens e saberão que ter muitos anos de vida nem sempre significa ter usado a experiência para adquirir sabedoria.
A vida é feita de muitas experiências, mas nem assim há garantia de evitar erros e aperfeiçoar acertos.
Viver muito não significa ter muita sabedoria e só conhecendo coisas ruins a gente sabe o que é realmente bom. Há os que aprendem com os erros e os que aprimoram sua maneira de errar.
Escrito assim com palavras, isso parece simples, óbvio e corriqueiro, mas nessa hora a maior parte do nosso caminho já foi percorrido e a melhor opção é não chegar logo no destino final.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

O homem vale pelo que é ou pelo dinheiro que tem?


Interessante observar, ainda que superficialmente, o apogeu e queda do homem que foi por breve tempo o mais rico do Brasil.
Segundo ele, sua riqueza teve origem na dura empreitada de garimpar.
Alguns dizem que buscar  ouro e diamantes, sabendo onde eles estão, não é exatamente garimpar e que foram informações privilegiadas do pai ministro, que lhe mostraram o caminho das pedras.
Aos trinta anos o rapaz já tinha uma lancha de corridas de cinco milhões de dólares e uma das mulheres mais cobiçadas da época.
Com pouco mais de quarenta, trocou o barco por um iate, a mulher por um modelo mais novo e o pai informante por outros, que continuaram a lhe fornecer preciosas informações já não mais de pai para filho, mas com participação nos negócios e negociatas.
As informações não foram tão boas. Talvez tenha comprado gato por lebre, o certo é que as expectativas não vingaram ou nem era para isso mesmo. Há quem diga que tudo não passou de um gigantesco estelionato, encenado por autor e autoridades, com vasta colaboração da imprensa global.
Muita gente perdeu dinheiro, nenhum coitadinho, acredito eu, foram bancos e especuladores, gente que queria uma carona no lucro rápido e fácil, desse monstro que se convencionou chamar de mundo financeiro, mas que na verdade é um carrossel financeiro, num circo midiático.
A casa caiu e bilhões de dólares viraram fumaça sem que se queimasse o petróleo esperado.

O artífice pode ter perdido grande parte da fortuna, mas continua entre os mais ricos do país. E nós,  simples mortais, temos todo o direito de perguntar, se esse homem vale pelo que é ou pelo dinheiro que tem.

Sucesso!


Metade do sucesso em qualquer empreitada é fazer o que se gosta, a outra metade é saber fazer.
Restam os que estudam o que não querem, trabalham naquilo que não gostam e têm, como resultado, uma vida vazia que quando está cheia é de problemas.
Não vou dizer que é fácil a gente sobreviver fazendo somente o que gosta mas é preciso tentar arduamente, porque não se recupera o tempo perdido, no máximo, lastima-se.

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá
COMPRE NA NOSSA LOJA VIRTUAL-CLIQUE AQUI