CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Aê...o palhaço !!!


Certas pessoas crescem com as mentira que contam, engordam com elogios mentirosos e se tornam imbecis a ponto de não entender respostas sarcásticas, achando, isso sim, que é um prêmio para sua venal atuação.
Mas a vida é assim mesmo e eu não poderia jamais esquecer que isso vai se resolver ainda que alguns já houverem sido enganados por muito tempo e não der para enganar todos por todo tempo.
Aí virá o castigo e esse, nem será da Justiça Divina, será só um pouco da justiça dos homens.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Viver bem tem muito a ver com observar as pessoas que nos cercam.


E esse contato é tão abrangente quanto as atividades diárias que fazemos.
Quem estuda, trabalha, frequenta um clube, uma academia e até mesmo uma balada, tem mais chance de conhecer pessoas e observar como elas agem.
Nessa tônica, eu diria que observar as pessoas no Facebook pode ser tão ou mais abrangente do que o contato pessoal por gente como eu que já estudou na escola o que tinha que ser estudado, trabalha nesse mercadão que é a internet e com uma horinha de academia todos os dias às sete da manhã, não dá para dizer que faz as sociais. No máximo meia hora de esteira e outra meia hora de alongamento.
 No Facebook a gente aprende vendo como algumas as pessoas fazem, não fazendo como muitas pessoas fazem e muitos depoimento das pessoas que estão colhendo o que plantaram.
Ainda dá tempo de colher bons frutos, então, comece a plantar.

sábado, 20 de abril de 2013

Filosofando


Qualquer um pode ser filósofo, se tiver pouca coisa para fazer, muita curiosidade, vasta imaginação e o poder de convencer que todos os outros filósofos estavam mais ou menos errados e que ele próprio está meio certo.
Deve dizer que fez várias experiências que ainda não estão acabadas e que breve vai provar  a coexistência da ciência e da teologia com a existência inconteste de Deus.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Nossa vida tem uma porção matemática.

Você pode somar, diminuir, dividir e multiplicar.
Você pode escolher as coisas às quais vai dar mais importância na sua vida, ou em cada época dela e para cada pessoa isso pode ser diferente.
Procure somar e dividir. Isso multiplica sua chance de ser feliz e diminui qualquer sentimento de culpa que alguns de nós temos pelas chances maiores a vida nos proporcionou.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Mesquinharia.

O indivíduo mesquinho vale tanto quanto as mixarias às quais ele dá valor exagerado.
Ao desejar todas as coisas para si, desconhece o prazer e compartilhar seja o que for, numa demonstração que sua visão mais ampla contempla só o próprio umbigo.
O ser mesquinho sofre muito mais pelo que os outros têm do que pelo que lhe falta e compartilhar pode ser um sofrimento tão grande,que essa aversão pela solidariedade o transforma em recluso de si próprio, refém da ambição.

Todo comerciante deveria saber ou relembrar.



É pior uma boa loja num local ruim do que uma loja ruim num lugar bom.
A localização de um comércio é fundamental e não adianta você ter a melhor mercadoria pelo melhor preço se as pessoas não forem à sua loja.
Não adianta enfeitar o pavão, trocar o piso, melhorar a iluminação e colocar lindos móveis. 
Se a sua loja for numa galeria você está escondido e mesmo que pague um aluguel considerado barato, não vai conseguir fazer um faturamento suficiente para chegar ao fim do mês com um resultado que lhe permita fazer face às demais despesas, mormente às trabalhistas.
Então, essa é a regra de ouro. Não adianta você ter uma loja boa num lugar ruim.
Isso é suicídio ou morte lenta e como ensinou o filósofo Caio, é melhor um fim horroroso do que um horror sem fim.

Um bom começo é a metade. Aristóteles


É enganadora a métrica das porcentagens.

Quem avalia coisas importantes pela porcentagem pode se arriscar a ter noventa e nove por cento de alguma coisa, e isso não querer dizer absolutamente nada. 
Noventa e nove por cento de alguma coisa é quase tudo, e ainda pode ser que você não tenha dinheiro nem para pegar um ônibus.
Arrisque-se por uma pequena parte de um grande todo, mas nunca se arrisque por quase tudo de algo que pode  valer pouco.
É enganadora a métrica das porcentagens.
É melhor ter um por cento de chance de viver do que ter noventa e nove por cento de chance de morrer.
Em alguns casos o melhor começo e simplesmente começar porque você não é Aristóteles, a vida não se resume à matemática e quarta-feira é dia de feijoada...

terça-feira, 16 de abril de 2013

Ler é fundamental, escrever é só consequência.

A amizade dos homens e das mulheres.

Desconfie dos homens que não tem amigos, das mulheres que tem muitas amigas e dos amigos da sua mulher.

O homem que só tem amigos antigos pode ter se tornado tão chato que não consiga fazer novas amizades.

O homem que só tem amizades novas pode ter sido pouco amigo e não conseguiu manter os antigos.
A mulher que não tem amigas pode ser tão inteligente que percebeu que é melhor ter conhecidas do que ter amigas que quando se encontram não deixam de falar mal de uma terceira.
A amizade de um homem e uma mulher quase sempre termina na cama do homem, na cama da mulher ou na cama da melhor amiga ou amigo deles.

Bulling, bulir, bulinar e bulhufas.


Amiga virtual do Facebook escreveu...gente....meu professor está me bulinando!
Como ela é gostosinha, melhor dizendo, gostosona, interessei-me de imediato, porque é da natureza humana meter o nariz onde não se é chamado e onde não se pode meter outra coisa.
Não descobri onde ela quis chegar nem se o professor chegou onde todo mundo queria.
Fiquei sem entender bulhufas.

A falsa boa ideia.


Essa expressão, “falsa boa ideia” é atribuída a Roy Brown Jr. designer americano que criou nos anos 50 um carro da Ford, o modelo Edsel.
Sem sombra de dúvida, o maior fracasso da indústria automobilística americana e mundial de todos os tempos.
Apesar de ter tudo e mais um pouco, que qualquer pessoa exigente quisesse de um carro, como ar condicionado, vidros elétricos, transmissão automática, direção hidráulica e outras grandes novidades para a época, o Edsel, do qual foram produzidas cerca de 200 mil unidades, encalhou e nem metade da produção foi vendida.
Muita gente tentou em vão explicar o fracasso e ninguém conseguiu porque o carro era realmente uma ideia maravilhosa. Perdão, uma maravilhosa falsa ideia, uma vez que afundou seu criador e quase levou a Ford junto.
Os carros zero quilômetro apodreceram nos pátios das revendedoras, para desgosto do fabricante, principalmente porque o nome Edsel, era o do único filho do fundador da companhia, Henry Ford.
 Todos já tivemos “falsas boas ideias” e para alguns isso causou grandes aborrecimentos e prejuízos.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

A vida é curta...

A gente nasce, cresce, apanha  para aprender a viver bem e morre.
Alguns nem chegam a viver bem e colocam fim à própria vida. Não há uma explicação lógica para isso. Existem várias,  as causas são muitas, quase sempre passando pela depressão, doença que mata e maltrata.
Se você suspeita que alguém do seu convívio possa estar com depressão, não titubeie em ajudá-la. Muitas pessoas não sabem que tem e a maioria reluta em pedir ajuda.
Mas o assunto é vida.  
A vida é curta.
Não há quem tenha uma boa vida que não ache que oitenta ou noventa anos são poucos para se viver.
O certo é que todas as fases da vida têm seu encanto e muitas vezes nos reportamos à juventude como a melhor delas.
Bebês são sempre alegres, crianças são sempre agitadas, adolescentes são sempre rebeldes, moços e moças pensam que já sabem tudo quando começam a beber, a amar e a transar.
Tem gente que passa por todas essas fases sem perceber que aos trinta anos ainda podem ter o dobro disso para aproveitar ou se arrepender pelas escolhas que fizerem.
Não há em vida, o que não tenha caminho de volta, mas a vida foi feita para ir adiante, para subir degraus e não para descer. Ao contrário de uma escada, a volta pela descida é sempre mais difícil e pode ser triste.
Se você conhece algum jovem que trilha o caminho das drogas insista em ajudá-lo. Muitos não sabem ou não querem, mas precisam desesperadoramente de toda ajuda.
Aos quarenta anos a maioria das pessoas tem mais da metade da sua historia escrita. Para alguns se parece como um conto de fadas, para outros um romance. Alguns vivem verdadeiros dramas e uns poucos têm uma trajetória que é um filme de horror.
Nessa época a maioria já casou, descasou, gerou filhos e embora não percebam, as crianças são quase sempre o retrato dos seus pais. Meu avô sempre dizia: - Os filhos serão, aquilo que os pais queiram que eles sejam. Se você discorda é porque não sabe, ou não soube educá-los e porque não conheceu meu avô.
Aos sessenta anos os que ainda não perceberam que a vida é curta finalmente se dão conta, que se fossem um carro não teriam mais combustível para a volta. Aliás, nem poderiam ir muito longe. Combustível pouco, mais manutenção e menor velocidade.
Queiram ou não, o organismo é como uma máquina que responderá de acordo como foi usada.
Quem exigiu demais agora vai ter mais problemas. Quem viveu a vida mais devagar, com mais calma pode ter certa vantagem, ainda que sem nenhuma garantia.
E mais não escrevo porque não sei como será daqui para frente. Só sei que a vida parece curta demais para quem como eu, tem saúde e gente querida por perto.
Espero, nos próximos trinta anos tê-los como leitores e aí eu conto tudo de bom que estarei certamente vivendo com a minha querida Amanda Palma.
A vida é curta. Curta a vida!

domingo, 14 de abril de 2013

Em algum momento perdemos a noção de direito, da justiça e a vergonha na cara.

Muitos perceberam que levar vantagem é mais importante do que conquistar meritória, gloriosa e orgulhosamente posições entre seus pares, e que o sucesso de um indivíduo precisa significar que ele lutou com as armas dos justos e dos honestos para conseguir o que tem.
As novas gerações têm visto no poder e nos cargos mais altos da República, os ignorantes, os incultos, os desonestos, aqueles que se valem da própria astúcia e da leniência das massas, mantidas, coma falta de escolas, de mestres, de estudo e do conhecimento, em ignorantes que os tornam escravos dos que não sabem mais o que é certo ou errado, dos que aceitam tudo que está sendo feito de errado, desde que não sejam incomodados.
Os mal intencionados, os fracos e os perdedores insistem em dizer que em todo o mundo é igual, que é assim mesmo.
Mentira! Desvios da moral sempre existem e existirão, mas são punidos em alguns países com execração pública, cadeia, perda total do patrimônio e até com uma bala na cabeça.
No Brasil a justiça falta e é falha. Muitos dos que a aplicam merecem perder todo o seu patrimônio, ir para a cadeia e alguns, que destroem a vida dos que condenam, merecem  a execração, que pode ser tão exemplar como um tiro na cabeça.

Não dá para ganhar todas, o importante é acertar a maioria.


Errar, arrepender-se, voltar atrás e pedir desculpas fazem parte dos  acertos e são algumas das maiores virtudes do homem.
Saber tudo, acertar sempre e jamais voltar atrás, podem ser os grandes erros que causam grandes males.
A prudência e a razão são virtudes da experiência, que só se adquire com os erros e os acertos.
Ninguém ganha todas, o importante é não perder todas. 

sábado, 13 de abril de 2013

Os amigos, os conhecidos, gente que a gente encontra por aí e os outros.


Viver em sociedade é fundamental. 
A convivência faz a vida mais rica, é impossível viver só, manter-se afastado das pessoas e ainda assim crescer como ser humano.
Somos ajudados desde a hora do nascimento. Sobrevivemos na infância mercê dos cuidados dos pais e parentes, aprendemos na escola desde os conhecimentos fundamentais até as últimas descobertas feitas, por quem passa a vida pesquisando a ciência, a física, a química, a astrologia etc.
A gente nasce, cresce,vive, convive e aprende, que é preciso diferenciar os conhecidos, os amigos e os outros.
A tarefa não é fácil, e quem não consegue avaliar o que cada pessoa representa na própria vida, tem maior chance de ficar decepcionada, aprender errado ao transformar o que deve ser simples convivência em relacionamento, amizade em amor e amor em ódio.
Não é nada fácil separar a razão do coração, mas ninguém morre de razão, a gente morre é do coração.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Toda novidade passa.

Só o que tem essência permanece na lembrança por um tempo. 
Às vezes nos surpreendemos com a diferença na avaliação de algum fato ou alguma coisa que nos pareceu muito importante na época e que hoje mostra algumas falhas ou defeitos e já não nos parece tão belo, tão perfeito como a gente supunha há algum tempo.
Às vezes olhamos para uma foto antiga e nos surpreendemos com uma roupa, um adereço ou mesmo um namorado, namorada ou amigo, e nos perguntamos:- Como é que eu fui usar uma roupa assim? Como é que eu gostei de um cara assim? Como é que eu pude ter amizade, ou fui tão próxima de uma pessoa assim?
Isso é o efeito novidade onde a gente dá, inconsciente e temporariamente, mais valor para a aparência, para a novidade, do que para a essência da coisa ou da pessoa.
Já dizia o Pequeno Príncipe:- O essencial é invisível aos olhos, e só se pode ver com o coração.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

O tomate, os remédios, e o lugar que cada um de nós tem garantido, no inferno ou no paraíso.




O preço dos bens e serviços é formado basicamente pelo custo, onde cada um adiciona o lucro que pretende.
Essa equação é regulada pela maior lei de mercado existente, que é a procura.
No caso do alto custo do tomate, campeão de todas as discussões hoje na mídia, é fácil entender que os produtores que perderam suas safras estejam tentando se ressarcir dos custos e ter seu lucro com o pouco tomate que sobrou.
Na terra de todas as pizzas, não está faltando quem pague várias vezes mais seu custo habitual para ter à mesa o produto.
Se o povo não comprasse o tomate, o produtor iria baixar o preço, absorver esse prejuízo momentâneo e se ressarcir em várias safras, não em uma só como pretende, e como acontece com a maioria dos produtos que são regulados e obrigados a se submeterem à dura lei da oferta e da procura.
A pizza para muitos é o paraíso dos domingos e hoje o tomate é o inferno dos produtores.
Mas tem coisa como os remédios, que não estão sujeitos às chuvas nem trovoadas e na maioria das vezes são produtos químicos, minerais e vegetais abundantes, misturados em pequeníssimas proporções que cabem numa caixinha, num pequeno frasco ou tubo e que custam os olhos da cara, porque a ninguém é dado o direito de escolher se vai ou não tomar um remédio que vai lhe devolver a saúde ou mesmo salvar a vida.
A mentira deslavada contada pelos industriais do ramo é de que a pesquisa para descobrir e desenvolver os remédios é muito cara.
É fácil verificar a mentira, quando se vê que os lucros astronômicos desses laboratórios transformaram seus proprietários em bilionários, fizeram dessas, as maiores e mais rentáveis indústrias de todos os gêneros, em todo o mundo.
Eu não usaria aqui o termo máfia dos remédios, porque a máfia e todo o crime organizado junto, são comparáveis aos pequenos delitos e pequenos marginais, se pudéssemos avaliar a perversa realidade que o alto custo dos remédios causa na população do mundo todo.
Milhões, repito, milhões de pessoas morrem todos os anos, por não terem acesso aos remédios básicos e aos chamados de ponta na cura da AIDS, do câncer e de outras doenças, sem contar que esse custo tira do pobre, até o dinheiro da comida.
Portanto senhores, nada de pensar que o vilão dos preços é o tomate. A chuva passa, o lucro dos agricultores se recompõe, o lucro e a vida voltam ao normal em pouco tempo.
Mas não é isso que acontece com quem precisa de remédio, dos que já morreram pela falta dele, e pelos que precisam tirar o dinheiro da própria comida para trocarem a morte lenta da fome pela morte rápida de não tomar o remédio.
Por aí a gente entende, porque quando os ricos cometem crimes a gente fala que no fim termina em pizza.
É a comemoração da impunidade, que não vai ter vez quando alguns forem condenados pela sentença irrecorrível de padecerem no inferno o mal que causaram aos seus semelhantes, em troca de um suposto paraíso terreno que esse dinheiro maldito proporciona a alguns.
É desses que Jesus falou, quando diz que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico ter um lugar no céu.

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Politicamente correto.

Tá difícil ser a gente mesmo, ser normal, ter sangue correndo nas veias e meter ou não a mão na cara de uns, tomar umas porradas de outros e não levar desaforo para casa.
Ser politicamente correto virou moda e é uma quase obrigação, para as pessoas honestas, inteligentes e que têm que conviver socialmente com vagabundos, desonestos e incompetentes de vários gêneros.
Os meliantes tomaram conta do mundo e assaltam à mão armada até irem para a cadeia. De lá, roubam a gente comendo e bebendo de graça e atiçando uns bobos, militantes dos direitos humanos, que preferem içar uma bandeira do que arregaçar as mangas e educar as crianças para que elas tenham opção melhor do que a carreira do crime.
Nenhuma política social vai funcionar, enquanto uns pobres de espírito continuarem a alimentar os mendigos com esmola, para apaziguar as suas consciências pesadas, por não demonstrarem publicamente seu desgosto com a malversação do dinheiro publico.
Fica mais fácil fazer piada com os políticos corruptos do que lutar para apeá-los dos cargos que conseguiram com os votos dos analfabetos com o direito constitucional de equiparação com quem estuda e trabalha.
Os que pregam a obrigação de que os outros sejam politicamente corretos deveriam mostrar antes que são corretos.
fica a dica  #vãosefoder!

terça-feira, 9 de abril de 2013

Da onde menos se espera...



Aliás, esperar não é comigo mesmo. Pontual, exijo pontualidade dos outros, sob pena de perder o amigo e o respeito pelo indivíduo que menospreza o tempo alheio, mostrando como ele faz com a própria vida.
Mas o velho ditado que da onde menos se espera é que vêm as grandes decepções está por fora.
Hoje em dia não há lugar para desavisados, que deixam de avaliar corretamente os riscos a que se expõem, confiando cegamente nas pessoas.
Nunca é demais um pé atrás, para não se levar um pé na bunda.
E tem mais, de onde menos se espera, é de lá mesmo que não vem nada.

Dia disso, daquilo e daquilo outro.



Proponho a criação do dia de nada.
Nesse dia nada se comemorará, não é como sábado que é dia de feijoada e se cair na segunda-feira, ninguém vai trabalhar.
Todos os boletos e demais contas ficam com vencimento prorrogado para a semana seguinte e ninguém dá parabéns ou pêsames.
No dia do nada, a gente nem tem consciência nem será obrigado a ver ou falar com as pessoas que não significam nada para a gente.
No dia do nada só sairá de casa quem quiser, com isso não vai ter engarrafamento e como você sairá sem nada nos bolsos, nem telefone celular nem joia ou dinheiro, não será assaltada.
No dia do nada ninguém paga nada, nem ninguém cobra nada de ninguém.
Perfeito!

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Carona na audiência.




Quando a revista Veja e todas as outras publicações de sucesso editorial publicam a mesma matéria ou ela é realmente importante ou é sensacionalismo para vender o produto.
No caso em tela, não tenho a menor dúvida que tá todo mundo vendendo seu peixe e os senhores prefeitos, governadores, vereadores, deputados e senadores podem continuar roubando à vontade porque sacanagem por sacanagem todo mundo prefere a tradicional trepanagem, algo que deve ser, trepar com sacanagem .
Daniela Mercuri que não é parente (ou parenta como preferiria a presidenta) do finado e sensacional cantor Fred Mercury, açambarcou a mídia de A a Z com a tardia saída do guarda-roupas, ou como preferem os politicamente corretos, assumiu publicamente sua homossexualidade.
Meu dicionário diz que homossexualidade é a atração por pessoas do mesmo sexo. 
No caso em tela, atração é pouco, o negócio deve ser uma paixão, desenfreada e avassaladora, daquelas que comparo ao velho ditado: - Água morro abaixo, fogo morro acima e mulher quando quer dar, ninguém segura.
Daniela apresentou ao público com muita coragem sua esposa.
Como não sou expert, fiquei pensando como é que funciona, nos casos de homossexualismo, essa historia de marido e mulher. Quem come quem, quem põe o que onde, e essas coisinhas básicas que marido e mulher fazem, se bem que menos do que namorados, amantes e dos partidários da amizade colorida.
Uma vez perguntei para meu amigo Roberto, veadinho maravilhoso, como é que funcionava isso para ele, já há muitos anos numa relação estável com seu “namorido”. 
Ele meio que desconversou, mas disse que no caso deles, um dia um era marido e o outro mulher, depois trocavam, mas que ele gostava mais de ser o marido porque esse negócio de dar o cú pode ser bom mas dói. Prova cabal que quem tem cú, tem medo.
Mas voltando à Daniela, queria dar meus parabéns, desejar toda a felicidade do mundo e vaticinar, que para fazer outro grande sucesso desses na mídia, só ela matando a esposa e mostrando o pau.

Minha carona chegou, fui!

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Dinheiro e saúde...


Não sei quantas categorias de problemas todos temos, nessa faina diária que é viver bem e não praticar o mal.
Certamente falta de dinheiro e de saúde são dois deles, que atormentam muito os colegas Facebooquianos.
Vemos por aqui muitas reclamações, lamúrias, protestos, revolta e porque não, um pouco de aceite, resignação e da busca ao caminho para resolvê-los.
Resolver os problemas é preciso, pois a vida não para, e, ao continuar, acumular problemas é ter certeza que isso vai transbordar e inundará, estragando as coisas que a gente tem, que a gente gosta e que fazem parte da nossa vida.
Uma coisa é certa. Com saúde física e mental todos os problemas financeiros podem ser resolvidos. Ter a serenidade que a paz de espírito já é meio caminho andado.
Agradeço a Deus por ter saúde, dar saúde aos meus e com isso eu certamente vou poder ajudar quem precisa e nunca vou precisar dos que ainda pensam que enganar ao próximo é o caminho certo para ganhar dinheiro.

A moral, a vergonha e o respeito ao próximo.


As pessoas sentem vergonha, quando a sua conduta é exposta ao exame de outra, ou de um grupo de pessoas, e essa conduta lhes parece reprovável.
A vergonha está intimamente ligada ao respeito que a pessoa possa sentir ou não, pelos que são desrespeitados.
O assunto é vastíssimo mas dá para perceber que a sem-vergonhice da classe política da nossa cidade se dá pela falta de respeito que têm a nós cidadãos.
A culpa é inteiramente nossa porque não nos damos respeito, seja elegendo esses sem-vergonhas, seja não os apeando do poder com o único remédio legal para isso.
União e vergonha na cara!

Ser velho.


A gente não fica mais velho e mais inteligente.
A gente fica mais velho e mais experiente e por isso sabe, que buscar conselhos das pessoas mais novas, mais inteligentes e mais preparadas em algum assunto, é ser inteligente.
Ninguém sabe tudo sobre todos os assuntos e quando a gente quer acertar mesmo, não se preocupa de quem serão os louros pelo sucesso de uma ideia ou ideal.
Nem todo jovem é inexperiente. Muitos são na verdade mais experientes do que pessoas mais velhas.
Ser maduro só quer dizer que não se é verde e isso não quer dizer que os mais velhos já passaram do ponto, nem que os maduros são mais eficientes.
Todas as idades têm seus encantos e a velhice só quer dizer que alguém passou por todas as fases, tirou da vida o que melhor pode, o que a experiência lhe ensinou a aproveitar.
Ser jovem e inexperiente é uma verdade irrefutável e inexorável, mas ser velho, só quer dizer que se foi à escola,  não que se aprendeu a lição.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Cutucar ou não eis a questão.





O ti cutuco não cutuca já rendeu samba histórico que vale a pena ser ouvido, conhecido por uns, relembrado por muitos.
Mas o cutucar aqui é mais que uma dedada nas costelas, é um clique num botão do Facebook que pode dizer mais, ou muito menos do que olha eu aqui.
Estava pensando cá com meus botões, o que leva as pessoas a me cutucarem, e porque eu não fico cutucando todo mundo, ou parte dele, ou delas, como preferirem.
É bem verdade, que esse cutucar tem pouco a ver com a vida real onde se você sair cutucando vai é tomar porrada.
Bem sei que o assunto é fraco e não rendeu a inspiração desejada. Faltou assunto e porque não, tenho sentido falta de cutucadas...
Já que chegou até aqui e não deu para cutucar, curte aí vai... é só mais uma dedada...e escuta o sambinha que vale a pena.

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá
COMPRE NA NOSSA LOJA VIRTUAL-CLIQUE AQUI