CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO

sábado, 30 de abril de 2011

Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida -Por Baltasar Gracián

Compreender o temperamento das pessoas com quem se lida  para saber das suas intenções.

Se as causas são conhecidas, se conhecem as  e conseqüências delas e se deduzem as intenções.
O pessimista é agoureiro, e o maledicente sempre encontra  culpas. Sempre imaginam o pior. 
Como não vêem as coisas boas do presente, anunciam o mal futuro. 
O apaixonado vê as coisas diferentes do que são, porque é movido pela paixão, não pela razão. 
Cada um fala segundo suas preferências e seu humor, e todos estão longe da verdade.
É preciso decifrar os rostos e  interpretar os sinais da alma,assim se conhecerá o tolo porque está sempre rindo e o falso porque nunca ri. 
Cuidado com o perguntador, seja porque é indiscreto, seja porque se fixa nos defeitos. 
Não espere muito dos feios, porque costumam se vingar da natureza por tê-los favorecido tão pouco. 
A tolice é diretamente proporcional à beleza.




Quem foi Baltasar Gracián?
                                      
 Escritor espanhol, jesuíta, escreveu várias obras entre elas
 A Arte da Prudência, em 1647.
A obra deveria ser um guia para  os homens do seu tempo para ajudar a  “desemaranhar nos labirintos das intrigas, das dúvidas e das maledicências cotidianas”, isso segundo Domenico de Masi, o laureado escritor que edita agora a obra do mesmo nome, com uma coletânea de 150 dos 300 aforismos originais, mantendo na medida do possível sua originalidade com pequenas atualizações para facilitar a leitura. Editora Sextante 2003, 3a.a edição.




A vida na internet. Por Marinho Guzman


É da diversidade de opiniões encontradas na internet, especialmente no Facebook, que a gente vê porque as coisas estão fáceis e tão difíceis de acontecer.
Não quero generalizar nem achar que todas as opiniões estão claras, ou que de qualquer forma sejam a expressão única da verdade, mas dá para desconfiar quanto é difícil encontrar percepção da realidade, nesse mundo simplista de viver só o dia de hoje, um dia de cada vez, e outras frases feitas que empurram a responsabilidade cada vez mais para o futuro e se possível para os outros.

Mas não se deve duvidar que esse é um termômetro da classe média, gente que sabe ou deveria saber expressar o que sente.
Interessante observar nas postagens dos mais jovens aquilo que nós já pensamos, sentimos e fizemos um dia. Com nossos erros e acertos poderíamos dar alguns conselhos, se eles pudessem ser entendidos e fossem aceitos.
Desde que o sonho não se torne um pesadelo é muito bom sonhar.
O sonho de se tornar princesa não é mais a prioridade das garotas. Ainda que a mídia maciçamente mostre as vantagens de ser bonito, rico, instruído e...morar em um palácio, as garotas de hoje já perceberam que é melhor ter um plebeu qualquer na mão do que um príncipe nos sonhos.
As garotas de hoje tem sonhos mais modestos e modernos. Sonham com rapazes com cara e corpo de príncipes, ainda que o cabelo não ajude, o veículo não seja um Rolls Royce ou um Aston Martin conversível e o dinheiro disponível para um programa só dê para ima pizza média...
Os garotos de hoje não sonham com princesas cobertas de roupas de grife. Aliás, hoje quanto menos roupa melhor.
Antes mesmo de chegar aos trinta anos, as garotas começam a perceber que a se os príncipes existem, no mundo delas são ainda girinos. Com essa idade elas já se preocupam muito em trabalhar e ganhar o seu próprio dinheiro, porque já perceberam que o que começou com “rachar a conta” vai terminar com “salve-se quem puder”.
Os garotos mais assentados têm namoradas firmes ou já casaram.Os de trinta anos  não querem nada com a vida de casados. Continuam a se divertir com a grande quantidade das erradas disponíveis, sem se preocupar com o encontro final da certa.
Os de quarenta anos ou mais são inadequados, inapropriados, desqualificados ou desdentados e nem pensam em dividir uma casa, quando podem dividir só a cama.
Longo, esse assunto não se esgotará jamais.
Ainda bem, senão, o que eu faria nessas noites vagando pela intenet e perambulando pelos escritos alheios?

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Ensaio com a gata Nathalia Pantaleão

Ensaio com a gata Nathalia Pantaleão


Modelo Nathalia Pantaleão

Local – São Paulo Mais informações?Ela está entre minhas amigas virtuais no FaceBook

Fotos Fabiano Alves

William e Kate saem de Aston Martin conversível após recepção

William e Kate saem de Aston Martin conversível após recepção

O automóvel azul tinha a placa com os dizeres "JU5T WED"

Michael Holden e Marie-Louise Gumuchian, da 
Getty Images
Saída do carro no casamento
O carro ficou mundialmente famoso através do espião britânico da ficção James Bond
Londres - O príncipe britânico William surpreendeu após seu casamento com Kate Middleton, nesta sexta-feira, e protagonizou um momento James Bond ao sair do Palácio de Buckingham dirigindo um Aston Martin conversível clássico após a recepção aos convidados.


 carro -- cuja marca ficou mundialmente famosa através do espião britânico da ficção James Bond -- também tinha um L de "learner" (aprendiz) na placa, uma brincadeira com o novo status do casal, e estava enfeitado com balões de gás.William dirigiu o carro azul com a placa "JU5T WED" ao sair pelos portões da residência da rainha Elizabeth, no centro de Londres, para delírio dos fãs aglomerados do lado de fora. A esposa Kate Middleton, sentada no carona, acenou ainda vestida de noiva.
O casal foi até o Palácio St James para que Kate pudesse trocar de roupa para as comemorações noturnas.
Um funcionário da realeza disse que o carro, um Aston Martin Volante, pertence ao pai de William, o príncipe Charles, e foi convertido para usar o bioetanol E85, produzido na Inglaterra.
"Ele tem esse carro há 30 anos e achamos que seria uma ideia adorável ele voltar dirigindo", disse o funcionário.
William e Kate se casaram na abadia de Westminster nesta sexta, em uma cerimônia suntuosa e cheia de pompa assistida por milhões de pessoas no mundo tudo e que deu um novo ânimo à monarquia britânica.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Filha de Vinicius de Moraes é encontrada morta no Rio


PUBLICIDADE
DIANA BRITO

DO RIO



Filha do cantor e compositor Vinicius de Moraes, Luciana de Moraes, 55, foi encontrada morta por volta das 8h30 desta quinta-feira, depois de cair da janela do seu apartamento no terceiro andar, onde morava com o afilhado e a companheira, no Leblon, zona sul do Rio.
De acordo com policiais do 23º Batalhão do Leblon, Luciana estava com ferimentos nos pulsos, que teriam sido provocados por uma faca. Até as 10h30, o corpo permanecia no local para realização da perícia da Polícia Civil.
Bombeiros chegaram a ser acionados para prestar socorro, mas a filha do compositor já estava morta. Policiais da 14ª Delegacia do Leblon também seguiram para o local.
A polícia investiga a possibilidade de suicídio e pegou informações com empregados de Luciana. Ela era fruto do terceiro casamento de Vinicius de Moraes, com Lila Bôscoli, bisneta da compositora Chiquinha Gonzaga.
Alan Marques-16.ago.10/Folhapress
Luciana Moraes recebe de diploma de Lula durante homenagem ao compositor Vinicius de Moraes
Lula entrega diploma a Luciana Moraes durante homenagem ao pai dela, o compositor Vinicius de Moraes

quarta-feira, 27 de abril de 2011

90% das mulheres nunca tiveram nem sabem o que é um orgasmo... Grande parte só tem orgasmos "fazendo justiça com as próprias mãos"...



DE PERNAS PRO AR


Rodado no Polo Cinematográfico da cidade filme é dirigido por Roberto Santucci e produzido por Mariza Leão
Produzido por Mariza Leão e dirigido por Roberto Santucci, De Pernas Pro Ar foi inspirado em uma notícia de jornal. “Um dia li uma matéria sobre uma vendedora de produtos eróticos porta-a-porta. E achei aquilo tão interessante e, ao mesmo tempo, tão simbólico, que resolvi que faria um filme sobre isso”, conta o diretor, que apresentou a idéia ao distribuidor Bruno Wainer. “Imediatamente, o Bruno disse que a Mariza Leão tinha de entrar para o projeto. E foi a melhor idéia que ele podia ter tido. A Mariza ficou tão empolgada com a idéia que escreveu, junto com Nilza Rezende, o argumento do filme”, continua Santucci.
 Espécie de fábula realista sobre a vida da mulher moderna, De Pernas Pro Ar conta a história de Alice, uma executiva que trabalha demais e não tem tempo para nada: filho, casamento, sexo... Tudo parece em ordem até que seu marido resolve pedir um tempo do casamento no mesmo dia em que ela é demitida. Depois de perder o emprego, ela se une à vizinha Marcela, a exuberante dona de uma sex shop falida. Tudo que Alice queria era ajudar a nova amiga a salvar seu negócio, mas ela acaba descobrindo um novo universo e aprende que é possível ser uma profissional de sucesso sem deixar os prazeres da vida de lado.
 Para viver Alice, Mariza escalou ninguém menos que Ingrid Guimarães. Uma das mais talentosas atrizes e comediantes da nova geração, Ingrid deu à personagem a pitada certa de humor. “A escolha da Ingrid foi muito feliz. Além de ela ser uma atriz maravilhosa, é uma mulher comum, no melhor sentido do termo. Consegue interpretar como ninguém a figura da mulher contemporânea, com todas suas ansiedades, ambições e inseguranças”.
 Para a produtora, De Pernas Pro Ar é muito mais que uma comédia romântica. É uma história universal sobre alguém que quer ser feliz e viver melhor. “É um filme que fala sobre as questões de todas nós, mulheres contemporâneas, que tentamos nos equilibrar para dar conta da vida profissional, amorosa, dos filhos, da família e, nas horas vagas, ainda amorosa, dos filhos, da família e, nas horas vagas, ainda achar tempo para cuidar de nós. O filme é ainda um retrato contemporâneo do quanto o comportamento feminino provoca grandes questões e inseguranças no homem”.
 “Poderíamos ter feito uma comédia escrachada, mas o timing que todos da equipe conseguiram alcançar dá ao filme a leveza necessária para contar esta história com humor e, ao mesmo tempo, amor. E esta atmosfera inclui desde a direção de arte, do roteiro, passando pela direção, pela contribuição do elenco, entre tantos outros aspectos”, conclui Mariza.
Com coprodução da PARIS FILMES e Globo Filmes, o filme tem orçamento geral de R$ 6 milhões e foi rodado em Paulínia, Rio de Janeiro e Campinas. Sua distribuição está a cargo da Downtown Filmes e da Paris Filmes 

Elenco
Alice  - Ingrid Guimarães
João - Bruno Garcia
Marcela - Maria Paula
Marion - Denise Weinberg
Sorriso - Antônio Pedro
Rosa -  Cristina Pereira
Paulinho  - João Fernandes
Carlos - Rodrigo Candelot

Participação Especial
Marcos Pasquim - Cliente do SexShop
Flávia Alessandra – Danielle

Ficha Técnica
Ano de produção: 2010
Ano de lançamento (Brasil): 2011
97 min/Cor/ Scope 2:35/Som Dolby 5.1

Argumento
Nilza Rezende
Mariza Leão
Roberto Santucci

Roteiro
Marcelo Saback
Paulo Cursino

Site Oficial: http://www.depernasproarofilme.com.br/
·       

·       




Quem é quem na rede Vontade de chamar a atenção e um estado de autocrítica rebaixada fazem as pessoas exibirem na internet até o que não querem mostrar



Felix Lima - 25.fev.2011/Folhapress
A modelo Bruna Tenório, 23, que mora em Nova York, usa a rede social para se comunicar com amigos

IRENE RUBERTI 
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA


Aquele colega de faculdade que era tão simpático agora é o chato que registra os detalhes mais insignificantes do seu dia no Facebook.
Quem estava interessado em negócios e começou a seguir o executivo bem-sucedido no Twitter fica sabendo só sobre suas viagens e festas.
E é sempre um constrangimento quando um conhecido resolve expor suas crises pessoais na internet.
Frequentar as redes sociais é uma boa maneira de manter contatos, mas é preciso conter a ansiedade, a raiva e a curiosidade nessas salas sem paredes.
Muitas pessoas se sentem tão à vontade no mundo virtual que acabam revelando aspectos de suas personalidades que surpreendem (ou aborrecem) os demais.
"Todos nós temos aspectos desconhecidos até de nós mesmos, que podem ser positivos, como talentos, ou sombrios, como medos. A internet é um meio propício para experimentar esses lados", diz Rosa Maria Farah, coordenadora do Núcleo de Pesquisas da Psicologia em Informática da PUC-SP.
Uma das hipóteses para isso é que, quando se está na internet, perde-se um pouco a noção de tempo e espaço.
O internauta fica em imersão, o que favorece uma condição quase de sonho. "As pessoas se sentem mais capazes de expressar desejos que, na vida presencial, pensariam 10 mil vezes antes de demonstrar", afirma.
Nesse estado alterado de consciência, a censura e a autocrítica ficam rebaixadas.
Um estudo da Universidade da Califórnia (EUA) mostrou que os internautas ficam em estado contínuo de atenção parcial e alerta permanente. Os resultados indicam que o Twitter estimula a liberação do hormônio ocitocina e diminui os níveis do cortisol, associado ao estresse.
Segundo a pesquisa, as conexões on-line são entendidas pelo cérebro como contatos cara a cara.

SEDE DE ATENÇÃO
"Eu vejo dualidade nas pessoas nas redes sociais: o tímido se torna expressivo, e pessoas que no convívio são agradáveis e educadas ficam agressivas", diz Gil Giardelli, professor da pós-graduação da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).
Para ele, a vontade de chamar a atenção é uma das explicações.
Um levantamento feito pelo Facebook mostra que usuários que fazem mais críticas são os que recebem mais comentários.
Para o especialista em planejamento estratégico digital Felipe Morais, os internautas se surpreendem com o comportamento alheio porque, na verdade, acabam trazendo para o seu convívio pessoas que não conhecem a fundo. "Eu mesmo tenho mais de 800 contatos no Facebook, mas posso dizer que realmente conheço uns 15."
Já o estudante de direito Guilherme Saraiva, 20, diz que já excluiu da sua lista pessoas "chatas".
A maioria dos usuários de redes sociais prefere o papel de espectador, segundo Morais, que dá aulas de comércio eletrônico no MBA da Faculdade Anhembi-Morumbi.
Um levantamento feito pelo Yahoo Research mostra que apenas 0,05% dos usuários do Twitter conseguem chamar a atenção.

MULHERES
Nas redes sociais, as mulheres se expõem mais do ponto de vista pessoal. Uma pesquisa feita no ano passado pela Oxygen Media e Lightspeed Research mostrou que 21% das mulheres entre 18 e 34 anos que estão nas redes se levantam à noite só para checar o Facebook.
"Por uma questão cultural, as mulheres são mais abertas e comunicativas. É aceitável que elas mostrem mais os sentimentos", diz a professora Rosa Farah.
A agente de negócios Fernanda Nunciato, 23, está no Facebook, MySpace, Orkut, LinkedIn, Twitter e tem um blog. Checar as redes sociais é a última coisa que faz antes de dormir e a primeira quando acorda. "Tomo o café da manhã vendo minhas páginas pelo notebook", diz.
A top model alagoana Bruna Tenório, que mora em Nova York, também adotou a rede social para se comunicar com amigos e parentes.
"O Facebook é bem útil quando preciso ter contato com amigos, acho mais ágil escrever algo no mural deles, a resposta vem mais rápido do que por e-mail", diz.
Ter muitos acessos no blog, um grande número de amigos no Facebook e de seguidores no Twitter virou símbolo de status, popularidade e prestígio.
Mas frequentar as redes sociais significa também conviver com amigos exibidos e gente mal-humorada e ficar da sabendo de detalhes pouco interessantes da rotina dos outros. "É o zoológico humano, só que visto de camarote", afirma Farah.

domingo, 24 de abril de 2011

Jornal diz que futura princesa britânica comprou calcinha ‘brasileira’para casamento real

Londres - No que depender da futura princesa da Inglaterra, Kate Middleton, o príncipe William, com quem se casa no dia 29, não vai precisar apelar para a “cerveja afrodisíaca real” inventada por seus súditos esta semana. Numa de suas prováveis últimas aparições públicas antes do casório, a noiva comprou esta semana roupas íntimas que incluíram uma calcinha “estilo brasileira”, segundo o tabloide britânico ‘The Sun’.

O termo geralmente é usado por europeus e americanos para descrever peças íntimas menores que as usadas nos EUA e no Velho Continente. Além da calcinha, ainda de acordo com o ‘The Sun’, Kate teria investido em dois biquínis, todos para serem usados durante a lua de mel. As compras no bairro de Chelsea, na capital Londres, incluíram ainda dois sutiãs e uma calça.

Não é a primeira vez que o lingerie de Kate é assunto na imprensa britânica. Quando era colega de faculdade  do príncipe, a morena participou de um desfile de moda beneficente no qual andou pela passarela em roupas íntimas. Segundo a biógrafa de Kate, Claudia Joseph, o fato de o príncipe ter visto a então amiga com tão pouca roupa “jogou uma nova luz” sobre o relacionamento. 

Conhecida por seu bom gosto quando o assunto é moda, Kate entrou esta semana para a lista de 100 pessoas mais influentes do mundo da revista americana ‘Time’.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

NOVAS MÍDIAS - O valor do jornalismo

Por Judith Brito em 26/2/2010
Reproduzido da Gazeta do Povo (Curitiba, PR), 24/2/2010
Dois estudos norte-americanos recentes fornecem elementos importantes para a compreensão da dinâmica da mudança em curso no mercado de comunicação social, provocada pela revolução digital. O primeiro é um levantamento do instituto Pew Research Center, que demonstrou serem os jornais responsáveis por cerca de metade da produção de conteúdo jornalístico novo. As demais mídias tradicionais juntas (tevê, rádio e outros) produzem quase todo o restante e somente 4% das informações inovadoras originam-se nas novas mídias (plataformas de busca, agregadores, blogs, etc). O segundo levantamento, feito pelo Fair Syndication Consortium, atestou que cada matéria de jornal é reproduzida sem licença em média 4,4 vezes na internet, chegando a 15 vezes nos casos dos títulos de maior credibilidade.
O papel das novas mídias tem sido, em geral, o de simples replicadoras dos conteúdos originais, produzidos principalmente pelos jornais. Não se discute a capacidade da internet no que se refere ao compartilhamento imediato e global das chamadas hard news, entendidas como a apresentação simples de acontecimentos, por meio de textos, áudio ou imagens. Aliás, neste aspecto, o da disseminação instantânea de notícias, o rádio e a tevê já haviam ocupado, com eficiência, o espaço inaugurado pelo jornal, a mais antiga das mídias. Referimo-nos ao papel mais importante do jornalismo: o de produzir informações e análises inovadoras, sob a responsabilidade de empresas jornalísticas sérias, que exigem de seus profissionais – jornalistas altamente qualificados – o uso de técnicas de apuração e o compromisso com princípios editoriais transparentes. Produzir informação inovadora e de qualidade – aquela que contribui de forma relevante para que os cidadãos possam refletir e ter opiniões próprias num país democrático – custa caro.
Pauta do debate
O modelo ideal de empresa jornalística é a que se sustenta por meio da venda dos exemplares e também, necessariamente, pela receita publicitária oriunda de uma carteira ampla e diversificada de anunciantes. Somente empresas jornalísticas financeiramente sólidas podem manter a desejável independência editorial em relação a governos ou a interesses privados, o que lhes permite eleger como prioridade absoluta o direito dos cidadãos de acesso às informações, e assim garantir a publicação de notícias e análises que podem contrariar interesses políticos e econômicos.
Não há dúvida de que o jornal Washington Post prestou um serviço à sociedade norte-americana, em 1974, com a divulgação de reportagens sobre o Caso Watergate, estopim de investigação que resultou na queda do presidente Richard Nixon. A democracia da América não foi abalada. Ao contrário, se fortaleceu.
Tudo isso coloca em debate uma questão fundamental para o futuro da comunicação. Utilizando-se de mecanismos de busca na internet, grandes empresas da nova fronteira tecnológica se apropriam das informações jornalísticas, sem autorização dos detentores dos direitos sobre elas e sem qualquer remuneração. Tais empresas estão hoje entre as maiores e mais lucrativas do planeta.
Se persistir esse modelo de apropriação e uso gratuito na internet das informações jornalísticas, elas tenderão a perder qualidade e, em última instância, a desaparecer. Sem a remuneração devida, como poderão os jornais produzir as informações que pautam os grandes debates, que ajudam na formação da opinião, que orientam os cidadãos?
Soma das perdas
Jornal é a mais antiga, tradicional e consistente das mídias, a que teve função mais relevante nas transformações sociais, econômicas e políticas, razão pela qual se tornou símbolo da própria democracia.
As novas mídias vieram para ficar, e devemos entendê-las como avanços que podem significar a melhoria do nível geral de informação. A questão está em encontrar um modelo saudável, que permita a continuidade dos padrões anteriores de qualidade na produção de informação e apuração de notícias. Caso contrário, perde a indústria jornalística, responsável pelos mais de 539 milhões de exemplares que circulam diariamente no mundo.
Mas, muito pior, perde a democracia um dos seus maiores guardiões.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

A Felicidade Conjugal - Danuza Leão

 
Viver junto é ótimo, mas algumas regras devem ser aprendidas - e decoradas - para que reine a paz conjugal. São pequenas coisas que serão feitas sempre sem o menor sacrifício, claro, e fundamentais para que o amor perdure ad eternum.

Como todo mundo sabe, as necessidades básicas femininas são bem diferentes das masculinas: homem ocupa muito espaço, e nós, mulheres, temos que abrir mão de certas felicidades do tempo em que se morava sozinha e se sonhava com a vida conjugal - tudo pelo amor.

É difícil ler um jornal quando se mora com um homem; um livro, praticamente impossível. Mas se não conseguir se conter, diga de vez em quando "beeeem, olha que coisa interessante" - e leia uma frase para ele, que assim não vai se sentir tão esquecido e abandonado. Quem não leu "Guerra e Paz" enquanto era solteira pode desistir e deixar para depois do divórcio, porque com homem por perto não dá.

Aqueles telefonemas sem fim com a amiga, para falar desde os estados da alma até sobre o modelo de sandália que viu na revista, nunca mais. Ainda está para nascer o homem que suporte ver a mulher pendurada no telefone de conversa fiada, e sabe por quê? Eles são seres simples, que só querem uma coisa: que toda a atenção de todos os segundos da vida de quem estiver por perto seja dedicada a eles e a mais ninguém. Não é muito, é? Já mulher é diferente; se elas souberem que são amadas acima de tudo, eles podem até ir ao futebol, desde que telefonem no meio do jogo para dizer que estão com saudades.

Mulher é capaz de fechar a torneira do chuveiro, abrir a cortina do boxe e gritar, bem alto: "Meu amor, você me ama?". Nessa hora, um homem inteligente cessa qualquer atividade e, mesmo que esteja atracado com a bula do novo celular, larga tudo, entra no banheiro, olha para ela com altos ares de desejo e diz "te adoro". Pronto: está comprada a paz, pelo menos por uns dias. E não custa, custa?

Mulher acredita muito mais em palavras do que em atos, e um marido esperto deve repetir as tais palavras tantas vezes quanto conseguir, para ter uma vida sossegada. Já os homens gostam de ser tratados como se fossem crianças de colo, e é preciso deixar bem claro que a única coisa importante para você é ele. Homens não precisam ser amados o tempo todo, basta que toda a atenção do universo seja dedicada exclusivamente a eles e a mais ninguém.

Sendo assim, a partir do momento em que ele chega em casa e até o momento em que sai para trabalhar, ela só deve ter olhos para ele. Aliás, olhos não, os cinco sentidos: a visão, a audição, o tato, o olfato e o paladar, e nada, mas nada, deve distraí-la do foco de sua vida, isto é, dele. Quer um drinque? O gelo já deve estar tirado, claro, e você já deve saber de cor de quantas pedras de gelo ele gosta no uísque. Quer um canapezinho? Em segundos o pão deve estar cortado em quadradinhos com uma fatia de queijo em cima e uma cereja coroando tudo.

Um homem verdadeiramente sábio deve ter um caderninho no escritório, no qual estejam escritas, em letras vermelhas, as grandes datas da história: o dia em que se conheceram, o do primeiro beijo, o da primeira transa e como ela estava vestida. Nesses aniversários, importantíssimos para qualquer mulher do planeta, ele deve, além de mandar flores, levá-la para jantar fora e, nessa noite, cumprir com louvor os seus deveres masculinos.

É simples lidar com uma mulher: basta dizer, muitas vezes por dia, que a ama loucamente, mesmo que não seja verdade. E é simples lidar com um homem: basta tratá-lo como se ele fosse Deus.

(Danuza Leão)


domingo, 17 de abril de 2011

Saída do Orkut é facilitada por aplicativos



Deixar o Orkut de lado para adotar o Facebook pode ser desanimador.
Onde ficarão suas fotos e seus amigos da rede antiga? Alguns serviços ajudam nesse processo.AMANDA DEMETRIO
DE SÃO PAULO

O Migrakut (migrakut.com) é um aplicativo para Facebook que permite que você leve para a rede de Zuckerberg seus álbuns do Orkut.
Nos testes da Folha, a migração teve alguns tropeços, mas foi completada com sucesso --foram importadas, inclusive, as legendas das fotos do Orkut.
O Orkut Dejavu (orkutdejavu.foamsnet.com) funciona de maneira parecida na importação das fotos. Os desenvolvedores da ferramenta prometem que um serviço de importação de scraps (recadinhos deixados no perfil do Orkut) chegará em breve.
A retomada dos contatos é mais complicada. Em 2009, o Facebook tentou angariar usuários ao criar uma ferramenta que importava os contatos do Orkut sem grandes dificuldades. 
Depois disso, o Google desativou a função do Orkut que exportava contatos com seus e-mails.
Uma dica para recuperar parte dos contatos é ir até a página Localizar amigos (on.fb.me/locamigos), no Facebook. Lá, você pode ver se seus amigos do Live Messenger ou de outros serviços de e-mail estão no Facebook e, em seguida, adicioná-los. 
Na caixa Outras ferramentas, você pode enviar arquivos com os seus contatos.
Para não deixar nenhuma rede social de lado, uma dica é usar o Social Menage (ontheweb.com.br/socialmenage), aplicativo do Facebook que integra as várias redes em uma só interface para o usuário.

sábado, 16 de abril de 2011

A Valsa -Casemiro de Abreu


Tu, ontem,

Na dança

Que cansa,

Voavas

Co'as faces

Em rosas

Formosas

De vivo,

Lascivo

Carmim;

Na valsa

Tão falsa,

Corrias,

Fugias,

Ardente,

Contente,

Tranqüila,

Serena,

Sem pena

De mim!



Quem dera

Que sintas

As dores

De amores

Que louco

Senti!

Quem dera

Que sintas!...

— Não negues,

Não mintas...

— Eu vi!...



Valsavas:

— Teus belos

Cabelos,

Já soltos,

Revoltos,                                                           

Saltavam,

Voavam,

Brincavam

No colo

Que é meu;

E os olhos

Escuros

Tão puros,

Os olhos

Perjuros

Volvias,

Tremias,

Sorrias,

P'ra outro

Não eu!



Quem dera

Que sintas

As dores

De amores

Que louco

Senti!

Quem dera

Que sintas!...

— Não negues,

Não mintas...

— Eu vi!...



Meu Deus!

Eras bela

Donzela,

Valsando,

Sorrindo,

Fugindo,

Qual silfo

Risonho

Que em sonho

Nos vem!

Mas esse

Sorriso

Tão liso

Que tinhas

Nos lábios

De rosa,

Formosa,

Tu davas,

Mandavas

A quem ?!



Quem dera

Que sintas

As dores

De arnores

Que louco

Senti!

Quem dera

Que sintas!...

— Não negues,

Não mintas,..

— Eu vi!...



Calado,

Sózinho,

Mesquinho,

Em zelos

Ardendo,

Eu vi-te

Correndo

Tão falsa

Na valsa

Veloz!

Eu triste

Vi tudo!



Mas mudo

Não tive

Nas galas

Das salas,

Nem falas,

Nem cantos,

Nem prantos,

Nem voz!



Quem dera

Que sintas

As dores

De amores

Que louco

Senti!



Quem dera

Que sintas!...

— Não negues

Não mintas...

— Eu vi!





Na valsa

Cansaste;

Ficaste

Prostrada,

Turbada!

Pensavas,

Cismavas,

E estavas

Tão pálida

Então;

Qual pálida

Rosa

Mimosa

No vale

Do vento

Cruento

Batida,

Caída

Sem vida.

No chão!



Quem dera

Que sintas

As dores

De amores

Que louco

Senti!

Quem dera

Que sintas!...

— Não negues,

Não mintas...

Eu vi!

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá
COMPRE NA NOSSA LOJA VIRTUAL-CLIQUE AQUI