CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO

sábado, 16 de maio de 2009

Saiba sair de cena,



Mais de...


Altura: 1,69 cm
Peso: 58
Busto: 0,83 cm
Cintura: 067 cm
Quadril: 0,96 cm
Manequim: 38
Cabelos: Castanhos
Olhos: Castanhos
Sapatos: 37
Daiane


Saiba sair de cena...

Uma das coisas que aprendi com pessoas de grande sabedoria

é saber sair de cena, deixar o palco, sair da roda, 

mudar de assunto. 

Saber o momento exato

de fazer com que os holofotes fiquem 

sobre os outros e não sobre você. 

No mundo competitivo em que vivemos

a sua presença “marcante” pode marcar demais. 

A sua idéia “brilhante” pode brilhar demais. 

A forma “inovadora” de pensar pode inovar demais. 

E nem sempre as pessoas estão dispostas

a deixar você brilhar impunemente. 

 

É hora de sair de cena. 

Nem que seja por um tempo. 

É preciso fazer os outros pensarem que você desistiu. 

É preciso dar a chance das pessoas acharem 

que você não quer mais estar no palco.

Mas saber sair de cena é uma arte tão importante

quanto saber entrar em cena. 

 

Todo ator sabe disso. 

Assim, é preciso sair de cena com classe. 

É preciso sair de cena com a discrição de um lorde inglês.

Quando as pessoas sentem-se ameaçadas por você

e começam a ter respostas agressivas desproporcionais, 

talvez seja a hora de sair de cena. 

 

Quando você,

sem ter desejado ou planejado, 

começa a aparecer muito na sua área de atuação ou 

no seu setor de trabalho,

talvez seja a hora de sair de cena por um tempo. 

Saber sair de cena é também saber mudar de assunto. 

Quando as pessoas vêm lhe perguntar

comentar sobre o seu sucesso, sobre seus bens materiais, 

seu possível enriquecimento, etc. 

querendo fazer você falar sobre você 

– é hora de mudar de assunto. 

É hora de sair de cena. 

 

Os sábios sabem

que você nada ganhará falando de você 

mesmo para os outros. 

Nem bem, nem mau. 

Mude de assunto. 

 

Saia de cena. 

Não caia nessa armadilha.

Quando o embate se dará com poderosos 

e você conhece o poder destrutivo desses poderosos, 

pense bem antes de entrar no combate. 

 

Talvez você ganhe mais saindo de cena. 

Deixe a briga de cachorro grande para grandes cães. 

Saiba sair de cena. 

 

Você terá outras oportunidades. 

Você ganhará outras batalhas com menos estresse, com menores esforços.

É preciso fazer um grande esforço de sabedoria

para saber quando sair de cena. 

 

É preciso ter uma grande capacidade artística 

para saber como sair de cena.

Será que temos tido a sabedoria  e a arte de sair de cena, 

deixar o palco, mudar de assunto, na hora certa, no momento exato ?

 

Pense nisso!

 

Sem estresse:

 

A hora de falar vem sempre depois da hora de ouvir !  


Desconheço o autor!

LEMBRANÇAS DE UMAS PUTAS ALEGRES...

     LEMBRANÇAS    DE     UMAS    PUTAS ALEGRES...

 

  Às vezes parece que eu ainda bebo...

Vira e mexe, eu vejo uma puta arrependida escrever a respeito da possível vida triste, das moças alegres...
Puta só deveria ser arrependida, se ainda estivesse na flor da idade e fosse rica.

 Puta pobre, Deus me livre, puta pobre e velha, Deus me valha!
 Então, o que resta são umas putas arrependidas, de nem isso terem feito com sucesso na vida.
Já dizia Oscar Wilde  “ a vida é importante demais para ser levada a sério”.

Puta que leva a vida à sério não é, não foi e nunca será uma puta séria, como dizem uma puuuutaaaa puuuutaaaa!
Ser puta é prerrogativa única, exclusiva das mulheres escritoras ou não.        
Provavelmente, cada uma tem uma ou muitas razões, para optar  pela dita mais antiga profissão.

Talvez seja a tradição, o exemplo bíblico ou mesmo uma questão de hereditariedade.  

Conheço umas putas, que são putas, porque adoram ser putas!

 

 Pode-se  dizer que ser puta é gozado,  ou gozada...  e  atire a primeira pedra aquele que acha que puta nunca goza...

  Aliás, já dizia o Tim Maia, que o Brasil não é um país sério, não é um pais sério. Cafetão se apaixona, traficante cheira e puta goza.

No mínimo, goza na cara ou goza da cara, de uns, que no meio de uma ejaculada precoce, ou por  ter o pau pequeno, podem ter achado  que poderiam pagar meia.
                     Voltando à putaria, um dia eu tive uma namorada que vivia reclamando das minhas escapadelas.

Perguntou-me  se no caso as mulheres teriam o mesmo direito.

 Minha saída imediata foi dizer:

 - Pois é, sou um puto e se você quiser ter o mesmo direito, é só ser puta!

Nunca  mais se falou no assunto putaria.
Então é isso. A alegria ou a tristeza de ser puta, está íntima e proporcionalmente ligada ao tipo de putaria, desempenhada pela puta.
                    Puta alegre é aquela que faz com gosto, com amor, caprichando.            
                    Putas tristes  são as mal amadas, aquelas  que não sabem fazer com um limão uma limonada.
                    As más profissionais, que foram putas tristes, seriam esposas frígidas, péssimas deputadas, médicas displicentes e
 esposas acomodadas.

Tem também umas putas ativistas. Não quero dizer ativistas são putas!


Nada a ver puta arrependida, com mulher que mudou de vida.
          

                  Um dia eu escrevo de tantas de mudaram de vida e se arrependeram...

 

                      Ás vezes parece que eu ainda bebo...

O bom senso, a experiência e a sorte.

Quantas vezes você já olhou para um cara e disse para você mesmo... que sorte...

É, o cara estava numa situação privilegiada.

Puta carro, mulher bonita, embora passado dos quarenta anos o cara era bonitão, sem barriga, nada de muito músculo nem afetação para falar,a andar ou vestir.

Você sentiu vontade de estar no lugar dele e invejou, no bom sentido a sorte do cara.

Do outro lado, o cara olhou para você, que o observava e já sabia que você estava querendo a posição dele na boa, sem inveja, com uma admiração gostosa de quem se sentia na direção da Mercedes, abraçado com a loira, numa praia gostosa ou num restaurante caro.

É quase certo que o cara esteja nessa situação por mérito, com certeza teve muita sorte e quase sempre fez boas escolhas na vida e no trabalho usando de inteligência e bom senso.

Claro que existem indivíduos inescrupulosos, ladrões, corruptos e marginais de toda a sorte que também gostam de boa vida. Mas a maioria deles cedo ou tarde vais ser encontrado nas páginas policiais, nas celas das cadeias ou pagando um micão de qualquer outra natureza, como

suborno à policia e advogados caríssimos, que o deixarão mais duro do que você.

Bem, o meu caso é o da inteligência, trabalho, bom senso, boas escolhas e muita sorte.

Por isso, cara, não faça mau juízo de quem você não conhece e lute para conseguir as coisas de que você gosta.

É a única maneira de você levar uma vida boa sem ficar preocupado com a opinião dos outros, a inveja predadora e os malefícios que vão sempre ao encontro e de encontro a quem não tem experiência suficiente para saber que não se deve...

JULGAR NINGUÉM PELA APARÊNCIA...

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Meu time é o máximo

Mas que futebol que nada!!!


Minha amiga Jane e meu amigo Caio fariam certamente um belo par... 
Ambos gostam de carros velozes, do São Paulo Futebol Clube, de praia...
Que eu saiba a Jane não está procurando um namorado mas o Caio está sempre disposto a um teste drive... 
Quem sabe não dá jogo de primeiro time para  a Libertadores ????

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Para enfeitar.


Altura: 1,69 cm
Peso: 58
Busto: 0,83 cm
Cintura: 067 cm
Quadril: 0,96 cm
Manequim: 38
Cabelos: Castanhos
Olhos: Castanhos
Sapatos: 37
Daiane

Numa noite o velho índio Cherokee falava para seu neto sobre a batalha que acontecia dentro de todas as pessoas.

- Meu filho, a batalha é entre dois lobos que existem dentro da gente, disse o velho índio.

- Um deles é Diabólico. Representa a raiva, inveja, tristeza, ganância, arrependimento, arrogância, sentimento de inferioridade, pena de si mesmo, culpa, mentiras, orgulho, sentimento de superioridade e ego.

- O outro é Benevolente. Representa a paz, amor, esperança, serenidade, humildade, carinho, simpatia, generosidade, verdade, compaixão e verdade.

O neto pensou sobre as palavras do avô por um minuto e depois perguntou:

- Qual deles vence a batalha?

E o velho Cherokee respondeu com toda simplicidade:

- Aquele que você alimentar. 

  

Tribuna adultera ponto de jornalistas‏

De:

Edison Baraçal (foto.eb@gmail.com)

Enviada:

quarta-feira, 13 de maio de 2009 3:40:05



From: Carlos Alberto Ratton Ferreira <carlosratton@globo.com>

Subject: Tribuna adultera ponto de jornalistas

RATTON NELES!!!! 

A Tribuna é notificada por adulterar ponto de jornalistas
 

A direção do jornal A Tribuna de Santos foi notificada, no último dia 11, pela Regional do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo, pela prática de adulteração no controle do ponto dos jornalistas. A comunicação é o primeiro passo para uma possível denúncia ao Ministério do Trabalho, caso a empresa continue fraudando o documento.
 
Mais de 20 jornalistas, que participaram de uma assembleia no Sindicato, denunciaram a situação, considerada pelo Sindicato como grave, pois podem acarretar sanções penais civis e trabalhistas. Jornalistas do Expresso Popular e da AT Revista – outros dois veículos de comunicação da empresa – também estariam sendo prejudicados. 
 
Logo quando da constatação de tais práticas, ilegais e abusivas, o editor-chefe de A Tribuna, em reunião com o diretor regional deste Sindicato, foi cientificado, porém alegou que se tratava de um fato isolado e que não mais voltaria a ocorrer. 
 
Entretanto, as ilegalidades vêm se avolumando, conforme foi relatado por mais de 40 profissionais que compareceram à assembléia extraordinária, realizada no último dia 7, na sede do Sindicato, à Rua Martim Afonso, 101, Centro de Santos. 
 
Vale lembrar que, além das conseqüências negativas para os trabalhadores que estão tendo seus mapas de ponto adulterados, que acabam sendo remunerados a menor, as condutas fraudulentas levam a ilícitos previstos no Código Penal. 
 
Também configuram falsidades contra a Previdência Social, na medida em que os documentos contábeis, para efeito de incidência das contribuições previdenciárias, ao que tudo indica, também estão sendo fraudados - o que configura a ocorrência de crime, cuja apuração remete à esfera federal. A empresa deve, nos próximos dias, encaminhar resposta à Regional.    
 


"EDISON BARAÇAL" (Rept. Fotográfico)
Jornal A Tribuna de Santos (SP) - Brasil
Fotoblogs: Clicar abaixo

 

sábado, 9 de maio de 2009

Prerrogativas dos Advogados.

Do site da OAB

Prerrogativas dos advogados

 

A era da descentralização

 

Para o novo presidente da Comissão, Mário de Oliveira Filho, a atuação independente das diversas subsecções na defesa das prerrogativas é o caminho para conquistar mais rapidez e eficiência no atendimento

 

Suzana Lakatos

 

Impulsionar a ação descentralizada da Comissão de Prerrogativas da OAB SP promete ser a marca registrada da atuação de seu novo presidente, Mário de Oliveira Filho, cuja gestão iniciou-se em 2 de janeiro último. A medida cumpre um duplo objetivo: imprimir rapidez aos atendimentos e ampliar a repercussão, nas diferentes localidades, das respostas dadas pela OAB SP aos abusos cometidos contra os direitos e prerrogativas dos advogados. "Traçando um paralelo, a Comissão vai ser, para o advogado, aquele ‘irmão mais velho’: sempre disposta a protegê-lo diante de ofensas, ameaças e humilhações", compara ele.

 

Outra aposta da nova gestão é na realização de um trabalho de conscientização quanto à necessidade de respeito às prerrogativas. "Elas constituem um dos principais instrumentos de trabalho do advogado, mas sua função é social. A rigor, as prerrogativas pertencem ao cidadão que constitui um advogado para defendê-lo. Lamentavelmente, porém, há problemas crônicos impedindo seu pleno exercício e criando obstáculos de toda a espécie para a atuação do advogado. Algumas autoridades ainda precisam entender que, embora exerçam seu munus em gabinete privado, os advogados exercem munus público".

 

Aposta no diálogo

 

Lembrando que o universo dos agressores dos direitos dos advogados é formado por dois grupos distintos – o dos que desconhecem as prerrogativas e o daqueles que fazem do desrespeito uma prática sistemática –, Oliveira Filho informa que a Comissão vai adotar dois níveis de trabalho junto às autoridades. O primeiro é uma fase de conscientização e visita às corregedorias da Justiça, do Ministério Público e das polícias Civil e Federal, acompanhada da distribuição para todas as autoridades de publicações expondo didaticamente o conteúdo do artigo 7° do Estatuto da OAB, que expõe as prerrogativas dos advogados. Paralelamente, haverá um endurecimento na ação contra aqueles que são agressores contumazes dos direitos e prerrogativas dos advogados: "Não queremos confronto, mas respeito é bom".

 

É aí que a descentralização, segundo ele, torna-se indispensável: "Cada subsecção vai contar com uma Regional de Prerrogativas, subordinada à Seccional, mas com apoio logístico e autonomia para agir de forma independente e pontual sobre os problemas locais, dando respostas mais rápidas. A lentidão é confortável para as autoridades que desrespeitam o advogado e as suas prerrogativas". Para revertê-la, está se realizando de imediato um mutirão a fim de zerar os processos pendentes. A partir daí, a meta é que nenhum processo em trânsito pela Comissão demore mais do que 30 dias para ser solucionado: "Nós, advogados, sempre reclamamos da morosidade do Judiciário e não podemos admitir que, internamente, um procedimento leve dois ou três anos para se resolver".

 

Triagem

 

Para atingir esse objetivo, os cerca de 20 advogados que compõem a equipe de coordenadores e voluntários da Comissão serão mantidos. A diferença, de acordo com Mário de Oliveira Filho, estará no direcionamento prático: "Primeiro, será feita a triagem, a fim de eliminar os casos que não dizem respeito a prerrogativas, e há muitos deles. Depois, haverá apenas um parecer objetivo e o julgamento. Queremos proporcionar ao advogado a eficiência dispensada ao cliente nos nossos escritórios. Afinal, a Comissão é um escritório de advocacia especializado em defender advogados que tenham as suas prerrogativas feridas".

 

Também o muro de silêncio, por trás do qual os violadores de prerrogativas tendem a se esconder, está na mira do novo presidente da Comissão: "Os desagravos terão função mais efetiva. Hoje, eles acontecem fora do horário de expediente e nas salas da própria OAB. O agressor apenas recebe um ofício comunicando o fato. As manifestações agora serão convocadas para o horário de expediente e às portas de onde ocorreu o conflito, seja delegacia ou fórum. A comunidade jurídica local e a população precisam saber que ali existe uma autoridade que não está respeitando a lei".

 

Em relação à continuidade das batalhas que vinham sendo travadas, ele acredita que cada caso terá de ser analisado individualmente. Questões como a do direito de acesso aos autos são inegociáveis. "Este é um direito garantido por lei e a lei está em pleno vigor, seja o réu um magistrado, seja um ladrão pé-de-chinelo. Ambos merecem o respeito da lei e, se são culpados ou inocentes, quem vai dizer é o processo. Já questões como a do Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) merecem uma dose dupla de reflexão. É preciso analisar caso a caso para não cometer injustiças, nem com o colega que está fora do rol dos bandidos travestidos de advogados nem com a autoridade acusada de arbitrariedade".

 

Mãos dadas com a ética

 

Oliveira Filho diz que, no Direito, existe uma balança, em que, num dos pratos, está a questão das prerrogativas e, no outro, a da ética. Com a mesma intensidade com que defende o direito de ação do advogado, cabe à OAB punir com severidade e rapidez o mau profissional – aquele que, portando uma carteira de advogado e regularmente inscrito nos quadros da Ordem, entra em uma delegacia ou presídio levando armas ou drogas para os presos. "Infelizmente, há uns poucos fazendo isso e denegrindo a imagem de uma categoria inteira, o que nos obriga a uma postura cautelosa em relação ao RDD", afirma.

 

Por isso, ele prevê uma aproximação crescente entre as comissões de Prerrogativas e os tribunais de Ética e Disciplina: "Temos de expulsar rapidamente esses poucos sujeitos que se travestem de advogados para cometer crimes e acabam maculando a imagem de uma instituição como a Ordem, que tem uma página de ouro na história democrática deste País".

 

 




Rir é arriscar-se a parecer louco.

Para alegrar o sabadão:
Luana
Medidas:
altura 1,65
manequim 36,38
busto 83
cintura 64
quadril 96
sapato 35,36
olhos verdes
cabelos loiro natural




Rir é arriscar-se a parecer louco.

Chorar é arriscar-se a parecer sentimental.

Estender a mão é arriscar-se a se envolver.

Expor seus sentimentos é arriscar-se a expor o seu eu verdadeiro.

Expor suas idéias e sonhos em público é arriscar-se a perder.

Viver é arriscar-se a morrer.

Ter esperança é arriscar-se a sofrer decepção.

Tentar é arriscar-se a falhar.

Mas… é preciso correr riscos. Porque o maior azar da vida é não arriscar nada…

Pessoas que não arriscam, que nada fazem, nada são. Podem estar evitando o sofrimento e a tristeza. Mas assim não podem aprender, sen

Rir, crescer, mudar, amar, viver…

Acorrentadas às suas atitudes, são escravas, abrem mão da sua liberdade. Só a pessoa que se arrisca é livre…

Arriscar-se é perder o pé por algum tempo. 

Não se arriscar é perder a vida…


Soren Kiekegaard

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Sarcasmo, ironia e outras figuras da linguagem...

Para alegrar a coluna, Amanda.






Sarcasmo designa um escárnio ou uma zombaria, intimamente ligado à ironia com um intuito mordaz quase cruel, muitas vezes ferindo a sensibilidade da pessoa que o recebe.
A origem da palavra está ligada ao fato de muitas vezes mordermos os lábios quando alguém se dirige a nós com um sarcasmo mordaz.
O sarcasmo é uma figura de estilo muito utilizada nas artes orais e escritas, designadamente na literatura e na oratória.
 Fyodor Dostoyevsky foi um dos grandes representantes do uso deste recurso estilístico, definindo-o como “o último refúgio dos modestos e virtuosos quando a privacidade das suas almas é invadida vulgar e intrusivamente".
O sarcasmo distingue-se de outras formas de retórica como as quais ele tem uma ligação e complementariedade muito forte.
Distingue-se também de figuras de linguagem muito próximas, usadas num mesmo contexto, mas com causas e efeitos distintos.
Com o humor negro
A diferença tem base no fato que o humor negro está mais direcionado para a comédia, enquanto que o sarcasmo nem sempre está, embora aconteça muitas vezes. O humor negro tenta divertir um público, uma platéia, usado frequentemente no cinema.
O objeto do humor negro não é tanto a ironia, mas mais temas macabros, e preconceituosos.
Com o Cinismo
Na Grécia Antiga o cinismo era uma corrente filosófica, fundada por um discípulo de Sócrates, baseando-se na ideologia da busca interior de felicidade, abandonando o usufruto dos bens materiais. Mais tarde o conceito tomou um sentido mais pejorativo e menos moral, passando a designar pessoas desonestas, sem pudor, indiferentes ao sentimento alheio. Contudo, o cinismo ainda hoje é usado como um desrespeito dos valores materiais, e dos princípios que regem a sociedade. Assim, o cinismo opõe-se ao sarcasmo, pois este é mais uma reação a uma situação particular mordaz e conflituosa, e aquele, refere-se mais a valores no seu absoluto e universalidade.
Com a ironia
Considera-se algo irônico ao comentário escrito ou oral feito por uma pessoa, designando exatamente o oposto daquilo que realmente se pretendia dizer.
O sarcasmo e a ironia estão estreitamente ligados, ambas podem ser usados como figuras de estilo na retórica ou na literatura e ambas não correspondem àquilo que supostamente se pretenderia afirmar.
A diferença entre estes conceitos está no fato de que o sarcasmo é sempre mais picante e mais provocador, enquanto que a ironia é uma simples contradição voluntária, com intuito menos áspero e feroz.


Texto reduzido, tirado da Wikipédia.

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá
COMPRE NA NOSSA LOJA VIRTUAL-CLIQUE AQUI