CLIQUE AQUI E SEJA LEVADA à MAIOR LOJA DE BIQUÍNIS DO MUNDO

domingo, 4 de dezembro de 2016

Coisas da idade.

Quando a gente é novo não pensa em ficar velho, quando vai ver já é velho.
Apesar de ser uma catástrofe, não me pareceu catastrófico ficar velho. A gente vai se acostumando e quando vê a velhice já chegou, e com ela a certeza que não dá para voltar.
E a idade não é como para certas bebidas, não te deixa melhor mas pode ensinar a sobreviver com essas “velhices”.
Eu por exemplo, me irritava com qualquer barulho, com alguma coisa fora de lugar ou com a ignorância das pessoas.
Não que eu tenha me acostumado ou que goste, mas criei uma certa tolerância que me faz bem, provavelmente na medida inversa que me incomodava.
E o que resta?
Ouvir Billy Paul faz muito bem!

Minha caneta e o prazer com algumas coisas.


Invariavelmente escrevo meia dúzia de palavras ou alguns números com uma das canetas que estão sobre a minha mesa.
Diferente de todas as outras do tipo descartáveis, essa eu tenho faz uns vinte anos e pasmem, com a mesma carga.
Não é uma caneta cara e se comprada hoje deve custar uns vinte ou tinta reais, não mais, provavelmente já ficou dentro da gaveta alguns desses anos e por esse motivo a carga ainda não esgotou.
Mas ultimamente ela está bem a vista e à mão e cada vez que eu a pego, lembro que quando a carga terminar provavelmente ela irá para o lixo para alguma caixa, junto com tantas outras cuja carga terminou e nunca foram trocadas.
Imediatamente paro de escrever com ela e pego qualquer uma das outras, as descartáveis.
Bobagem ou não, desleixo de nunca comprar uma carga para qualquer caneta, muito menos colocar tinta numa das várias Parser e Sheafers que jazem na tal caixa da gaveta, parei para escrever essas linhas pelos pensamentos que isso me traz sempre, com essa atitude de preservar a carga tê-la mais um tempo à mão ou à vista.
Preciso relembrar o prazer de olhar para algumas coisas, independente do seu valor, aliás, acho que depois desse texto vou usar mais a caneta e quando a tinta terminar vou simplesmente deixá-la sobre a mesa ou até mesmo procurar uma nova carga para ela.
Parece que chegou a hora de olhar mais para o que eu tenho do que buscar coisas novas, quase sempre descartáveis.


sábado, 26 de novembro de 2016

Vitórias.

Desde sempre os recordes são batidos, as marcas superadas e para alguém bom sempre acaba aparecendo outro melhor.
A superação pode ser derrota ou lição de que a vitória, por mais gloriosa e merecida, acabará cedo ou tarde fora do pódio.
Ao ser o primeiro, chegar mais alto e ser o melhor, ninguém está bem preparado para o sabor da derrota que existe e um dia virá.
Para um bom sempre surgirá outro melhor.

sábado, 12 de novembro de 2016

Encontros, desencontros, esbarrões e trombadas.

A vida é muita coisa, inclusive uma via de muitas mãos.
Cheia de cruzamentos, sinais verdes, vermelhos e amarelos, uma via onde você trafega de carro, de moto, de bicicleta e a pé, nos dois sentidos e ainda pode cruzar em qualquer ponto.
Parece o caos e é mesmo.
Então é natural você andar lado a lado, mas também pode esbarrar ou até bater de frente e o importante é seguir sempre e se necessário se desculpar.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Fodeu? Fodeu!

Não vou rir nem vou chorar, a vitória de Donald Trump é mais um exemplo de que não só a unanimidade, mas a maioria também pode ser burra.
Venceu o voto de protesto contra a situação “difícil” em que se encontram os cidadãos americanos.
Mas se está “difícil” para eles, imaginem para os refugiados de todas as ditaduras, dos que fogem das guerras religiosas, das guerras civis e da fome.
Me parece que a maior nação da Terra vai sentir daqui para a frente, como é ter um ditador no poder, uma pessoa despreparada para lidar com a democracia moderna, onde ninguém é igual perante a lei.
A maioria decide e escolhe mal.
A maioria do povo inglês escolheu deixar a Comunidade Europeia, vai ter um retrocesso econômico gigante, a maioria dos americanos trocou uma administração morna, por uma que pode vir a incendiar o mundo.
Só o tempo vai dizer, mas eu acho que Donald Trump não termina seu mandato.
É…. Fodeu!
Mas isso ainda pode ficar pior.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Primeiro o mais urgente ou mais importante?

Nas muitas decisões da vida, muitas vezes não se podendo fazer tudo, há que se escolher se faremos o mais urgente ou o mais importante.
Nas sociedades modernas como um todo, os governos dos países emergentes só podem fazer o que se lhes permite o dinheiro disponível ou o que não vai custar nada, ainda que se permita a quem vai pagar algumas contas, a exploração de algum bem ou serviço.
Nessa categoria se encontram as parcerias público-privadas que dependem exclusivamente da capacidade administrativa e gerencial dos administradores.
Começaremos o ano com uma nova administração e em que pese vermos alguns nomes conhecidos por terem colaborado com outras administrações, umas que fizeram pouco, outras que não fizeram quase nada, devemos levar em consideração que há entre eles elementos qualificados, trabalhadores e honestos, que não puderam dar o melhor de si ou porque não tiveram autonomia ou não dispuseram de dinheiro suficiente para colocar em prática ações, fossem elas importantes ou urgentes.
Voltando às administrações anteriores, o que se viu em muitos casos, se não em todas elas, foi dar pão e circo para uma população que precisa de educação e saúde, promovendo shows “grátis” e foguetório inútil.
Não sou contra as festas, sou contra fazer festa com o dinheiro que vai faltar para pagar médicos, hospitais, professores e merenda escolar de qualidade.
Assim, a futura administração se quiser começar bem, deve dar total autonomia para quem possa negociar com a iniciativa privada o foguetório do ano novo, as verbas para o Carnaval e os shows na temporada.
Tenho certeza que serão muitas as empresas dispostas a pagar essas e outra contas se não forem extorquidas com propinas para a exploração da publicidade nas nossas praias.
Talvez essas ações não sejam nem as mais urgentes nem as mais importantes mas darão clara demonstração do que será a honestidade e a transparência nos próximos quatro anos.

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá

Miss Guarujá-Biquinis Guarujá
COMPRE NA NOSSA LOJA VIRTUAL-CLIQUE AQUI